Bolsas da Ásia fecham em baixa, após novo salto da inflação nos EUA

Os números do CPI americano de junho vieram bem acima do esperado, causando perdas nas bolsas de Nova York

Sergio Caldas, do Estadão Conteúdo
14 de julho de 2021 às 08:10
bolsa china
Foto: Aly Song/Reuters

As bolsas asiáticas fecharam em baixa nesta quarta-feira (14)  seguindo o comportamento de Wall Street, após um novo salto da inflação ao consumidor (CPI) nos EUA reavivar temores sobre aperto monetário.

O índice acionário japonês Nikkei caiu 0,38% em Tóquio hoje, a 28.608,49 pontos, enquanto o Hang Seng recuou 0,63% em Hong Kong, a 27.787,46 pontos, o sul-coreano Kospi se desvalorizou 0,20% em Seul, a 3.264,81 pontos, e o Taiex ficou praticamente estável em Taiwan, com perda marginal de 0,01%, a 17.845,75 pontos.

Na China continental, o Xangai Composto teve queda de 1,07%, a 3.528,50 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto cedeu 0,88%, a 2.470,07 pontos.

Os números do CPI americano de junho vieram bem acima do esperado, causando perdas nas bolsas de Nova York ontem e impulsionando apostas de que o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) poderá anunciar seu primeiro aumento de juros já em 2022.

Nesta quarta, é esperado que o presidente do Fed, Jerome Powell, volte a falar sobre inflação durante depoimento no Congresso americano. Nos últimos meses, Powell e outros dirigentes do Fed têm avaliado o avanço da inflação nos EUA como "temporário".

Os preços vêm ganhando força em escala global este ano, à medida que a economia mundial se recupera dos choques da pandemia de Covid-19. A disseminação de variantes da doença, no entanto, tem forçado vários países a rever planos de reabertura.

Na Oceania, a bolsa australiana ignorou o tom negativo de Wall Street e da Ásia e ficou no azul, com ganhos em quase todos os setores. O S&P/ASX 200 avançou 0,31% em Sydney, a 7.354,70 pontos.

No fim da noite de hoje, a China divulga números do Produto Interno Bruto (PIB) do segundo trimestre, assim como de produção industrial e vendas no varejo de junho.