Maioria das bolsas da Ásia fecha em alta, após PIB da China e fala de Powell

Dados oficiais mostraram que o PIB chinês teve expansão anual de 7,9% no segundo trimestre, bem menor do que o salto de 18,3% observado no trimestre anterior

Sergio Caldas, do Estadão Conteúdo
15 de julho de 2021 às 08:11
bolsa china
Foto: Toru Hanai/File Photo/Reuters

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em alta nesta quinta-feira (15) na esteira de uma série de indicadores da China, que mostraram forte desaceleração do Produto Interno Bruto (PIB), mas também desempenho melhor do que o esperado da indústria e do varejo, e após o presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), Jerome Powell, adotar postura "dovish" (favorável à manutenção de estímulos) em depoimento ontem.

Na China continental, o índice Xangai Composto subiu 1,02% hoje, a 3.564,59 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 0,35%, a 2.478,72 pontos.

Em outras partes da Ásia, o Hang Seng se valorizou 0,75% em Hong Kong, a 27.996,27 pontos, o Kospi teve alta de 0,66% em Seul, a 3.286,22 pontos, após o banco central sul-coreano manter seu juro básico na mínima histórica de 0,50%, e o Taiex registrou ganho de 1,06% em Taiwan, a 18.034,19 pontos.

Exceção, o japonês Nikkei caiu 1,15% em Tóquio, a 28.279,09 pontos, pressionado por ações de petrolíferas em meio a um avanço do iene em relação ao dólar. O Banco do Japão (BoJ) anuncia decisão de política monetária nas primeiras horas de amanhã, mas não há expectativa de mudanças na sua postura ultra-acomodatícia.

Dados oficiais mostraram que o PIB chinês teve expansão anual de 7,9% no segundo trimestre, bem menor do que o salto de 18,3% observado no trimestre anterior, mas em linha com as expectativas. Já a produção industrial e as vendas no varejo da China subiram mais do que o esperado em junho, assim com os investimentos em ativos fixos no primeiro semestre.

Além disso, Powell voltou a minimizar ontem a tendência de forte alta da inflação dos EUA, em depoimento na Câmara dos Representantes, prevendo que os preços irão desacelerar e avaliando que seria um "erro" mudar a política monetária do Fed "de forma prematura". Ou seja, ele sinalizou que o BC americano não terá pressa de retirar os agressivos estímulos que adotou em reação aos choques da pandemia de Covid-19. Hoje, Powell falará no Senado.

Na Oceania, a bolsa australiana ficou no vermelho, à medida que o país vem retomando lockdowns para conter uma nova onda de infecções por Covid-19. O S&P/ASX 200 caiu 0,26% em Sydney, a 7.335,90 pontos.