Investimento em startups de saúde chega a quase US$ 184 milhões na pandemia

Setor se expandiu devido com a queda nos atendimentos presenciais

Sandro Zeppi, da CNN, em São Paulo
15 de julho de 2021 às 23:28 | Atualizado 15 de julho de 2021 às 23:35

 

Só no primeiro semestre de 2021, os investimentos em startups de saúde, as chamadas "healthtechs", atingiram US$ 183,9 milhões. O setor se expandiu empurrado pela pandemia de Covid-19 e as mudanças na vida da população, que precisou se adaptar a um mundo virtual, incluindo nos cuidados com a saúde.

Com os atendimentos presenciais despencando e o aumento da preocupação com a saúde, a tecnologia abriu um leque de oportunidade de negócios no setor e que as startups souberam aproveitar.

De acordo com a Distrito, em 2018 o valor investido nas healthtechs foi de US$ 52,9 milhões. Além disso, nos últimos três anos, o número de startups passou de 248 para 900. 

O CEO e cofundador da Distrito, Gustavo Araújo, afirmou à CNN que "a pandemia significou, basicamente, uma nova era para as 'healthtechs'". Segundo ele, há a aceleração da tecnologia e o investimento têm estimulado os empreendedores a construírem novos produtos. 

Telemedicina
Foto: National Cancer Institute / Unsplash