A cada 10 euros em fundos europeus, 4 são vendidos como sustentáveis, diz pesquisa

Análise revela que alguns fundos que se classificam como sustentáveis não fizeram alterações em seu portfólio, como vender certas empresas ou setores

A análise da Morningstar abrangeu 91% dos fundos domiciliados na União Europeia
A análise da Morningstar abrangeu 91% dos fundos domiciliados na União Europeia REUTERS/Kai Pfaffenbach

Por Tommy Wilkes, da Reuters

Ouvir notícia

Ativos em fundos europeus comercializados como sustentáveis atingiram 4 trilhões de euros –quase 40% de todos os ativos administrados em fundos gerenciados na União Europeia (UE)–, informou a Morningstar nesta segunda-feira (7), no mais recente sinal de crescente demanda por produtos considerados mais verdes.

Fundos de investimento publicizados como sustentáveis sob as regras do SFDR –regulamento europeu introduzido para melhorar a transparência no mercado de produtos de investimento sustentável– tinham sob seu guarda-chuva 4,05 trilhões de euros em ativos no fim de 2021, disse a Morningstar em novo relatório.

Isso representa aumento de cerca de 2 trilhões de euros em relação a abril do ano passado, logo após a introdução das regras.

O crescimento se deve a investidores que injetam mais dinheiro em produtos que promovem metas ambientais, sociais e de governança (ESG) e à medida que gestores reclassificam mais de seus produtos existentes como alinhados à sustentabilidade.

Sob o SFDR, os gestores podem classificar seus fundos com base em diferentes Artigos.

O Artigo 9 significa que eles estão totalmente focados em objetivos sustentáveis, enquanto o Artigo 8 significa que os fundos promovem “entre outras características, características sociais ou ambientais, ou uma combinação dessas características”.

Investimentos classificados como Artigo 6 são produtos tradicionais não focados em sustentabilidade.

A Morningstar disse que alguns fundos que se classificam como sustentáveis não fizeram alterações em seu portfólio, como vender certas empresas ou setores.

“Essas abordagens leves e de negócios como de costume têm levantado preocupações legítimas de que os gestores de ativos estejam fazendo um ‘greenwashing’ em suas linhas de produtos”, disseram os autores do relatório.

O “greenwashing” é entendido como uma prática de marketing enganoso, feito por empresas para sugerir falsamente um benefício ambiental.

Investidores “podem estar enganados ao pensar que fundos comercializados como promotores de características ESG ou que perseguem objetivos sustentáveis” são diferentes de fundos não comercializados como tal.

De acordo com a Morningstar, no quarto trimestre de 2021 fundos sob os Artigos 8 e 9 absorveram 64% de todas as entradas em fundos europeus, acima dos 41% no segundo trimestre.

Desde a introdução do SFDR, quase metade de todos os lançamentos de novos fundos ocorreu sob os Artigos 8 e 9.

A análise da Morningstar abrangeu 91% dos fundos domiciliados na União Europeia.

Mais Recentes da CNN