Acionistas do Itaú vão receber BDRs da XP

Movimento marca a conclusão da saída do banco do capital da corretora

Cerca de 500 mil acionistas do Itaú Unibanco passarão a deter BDRs da XP
Cerca de 500 mil acionistas do Itaú Unibanco passarão a deter BDRs da XP REUTERS

Cynthia DECLOEDT, do Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

O BDR (Brazilian Depositary Receipts) da XP – certificados que representam as ações da corretora listada nos Estados Unidos – passarão a ser negociados na B3 na segunda-feira (4).

A mudança veio após o sinal verde da XP Inc. e da XP Part. O movimento marca a conclusão da saída do banco do capital da corretora, posição que detinha desde 2017.

Com essa cisão, decidida pelo Itaú no ano passado, cerca de 90 milhões de títulos da empresa passarão a ser negociados na Bolsa brasileira.

Pelo valor das ações da XP de ontem, os BDRs representam mais de R$ 20 bilhões. Com isso, investidores brasileiros poderão ter acesso direto na B3 aos papéis da XP, que tem capital aberto na Nasdaq.

Os acionistas do Itaú receberão esses títulos que correspondem às ações da XP. Isso significa que os cerca de 500 mil acionistas do Itaú Unibanco passarão a deter BDRs da XP. A Itaúsa, holding que detém o controle do Itaú, terá com isso uma fatia de cerca de 15%.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Mais Recentes da CNN