AES Brasil assina memorando com Ferbasa para fornecimento de energia por 20 anos

O projeto possui, segundo a elétrica, 165 megawatts de capacidade instalada, equivalentes a 92 megawatts médios de energia assegurada a P50

Postes de alta tensão para transmissão de energia elétrica
Postes de alta tensão para transmissão de energia elétrica Foto: JPLenio/Pixabay

Gabriel Araujo, da Reuters

Ouvir notícia

A elétrica AES Brasil, antiga AES Tietê, assinou nesta terça-feira (12) um memorando de entendimento com a Ferbasa para o fornecimento de 80 megawatts médios pelo prazo de 20 anos, com entrega de energia a partir de 2024, informou a empresa em fato relevante.

O acordo prevê o desenvolvimento de um parque eólico no complexo Cajuína, no Rio Grande do Norte, onde a AES Brasil cria seu “cluster” eólico, disse a companhia, acrescentando que o projeto tem início de construção esperado para este ano.

O projeto possui, segundo a elétrica, 165 megawatts de capacidade instalada, equivalentes a 92 megawatts médios de energia assegurada a P50.

Leia também:
Energia mais barata em 2021: Aneel aciona bandeira amarela para janeiro
Racionamento de energia no Brasil em 2021 é quase nulo, diz consultoria PSR

“Esse passo reforça a estratégia de crescimento e diversificação de portfólio da companhia por meio de desenvolvimento de projetos de fontes complementares à hídrica e com contratos de longo prazo”, disse a AES Brasil, controlada pela norte-americana AES Corp, no comunicado.

Com a assinatura do memorando, as partes iniciam a negociação do contrato de compra e venda de energia elétrica.

Em comunicado à parte, a Ferbasa, grande produtora de ferroligas, afirmou que a aquisição do volume junto à AES Brasil “não representa aumento de capacidade produtiva, mas estratégia de redução no custo da energia em seu portfólio de contratos”.

Mais Recentes da CNN