Agência de mineração faz vistoria em barragem interditada da Vale em Mariana

A fiscalização foi solicitada pela Promotoria de Justiça de Defesa do Meio Ambiente de Mariana para verificar se existe risco de rompimento

Logo da Vale
Logo da Vale Foto: Washington Alves / Reuters

Bruno Villas Bôas, do Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

A Agência Nacional de Mineração (ANM) realiza nesta terça-feira (15) vistoria na barragem Xingu, da Vale, localizada na mina Alegria, em Mariana (MG). A fiscalização foi solicitada pela Promotoria de Justiça de Defesa do Meio Ambiente de Mariana para verificar se existe risco de rompimento. Os resultados da vistoria podem ser divulgados ainda hoje.

Na semana passada, a Superintendência Regional do Trabalho de Minas Gerais confirmou que auditores-fiscais interditaram as atividades da mineradora nas proximidades da barragem, que está em nível de 2 emergência. Foram interditadas atividades executadas por trabalhadores na própria barragem e na mancha de inundação (área que pode ser atingida em caso de ruptura).

Em comunicado, a Vale explicou que a barragem está desativada e não recebe rejeitos de mineração desde 1998, mas alguns trabalhadores ainda atuam no local. Com a interdição, a mineradora paralisou a circulação de trens da Estrada de Ferro Vitória a Minas próximo à barragem. A medida impede o escoamento de até 33 mil toneladas por dia de finos de minério produzido pela Usina Timbopeba.

Em paralelo, a Vale informou que buscaria retomar a produção afetada, destacando que a barragem Xingu tem sido monitorada diariamente e já teve moradores próximos removidos da chamada Zona de Autossalvamento (ZAS).

Tópicos

Mais Recentes da CNN