AGU propõe elevar o orçamento para o Censo de 2022 em R$ 292 milhões

Com o novo montante, sobe para R$ 2,292 bilhões a reserva para garantir o Censo 2022, o custo estimado pelo IBGE

Recenseador do IBGE durante visita para realização dos testes do Censo Demográfico de 2022.
Recenseador do IBGE durante visita para realização dos testes do Censo Demográfico de 2022. Tânia Rêgo/Agência Brasil

Gabriel HirabahasiEvandro Furonida CNN*

em Brasília e em São Paulo

Ouvir notícia

A Advocacia-Geral da União (AGU) encaminhou ao Supremo Tribunal Federal (STF)  uma manifestação com proposta que eleva em R$ 292 milhões a verba destinada à realização do Censo Demográfico 2022. Em petição, o governo informa que os recursos serão incluídos em uma emenda ao PLOA (Projeto de Lei Orçamentária Anual), que será enviada ao Congresso.

Com o novo montante, sobe para R$ 2,292 bilhões a reserva para garantir o Censo 2022. Este é o valor estimado pelo IBGE para que ele seja realizado.

O Censo deveria ter ocorrido em 2020, mas foi adiado por causa da pandemia. Para 2021, o governo alegou que não teria condições financeiras de realizá-lo.

O instituto estimou em R$ 2,292 bilhões o custo da pesquisa, enquanto a peça orçamentária do governo Bolsonaro previ apenas R$ 2 bilhões, uma diferença de quase R$ 300 milhões em relação ao pedido do IBGE.

Provocado pelo estado do Maranhão, o STF decidiu em maio, por dez votos a um, que o Poder Executivo deve obrigatoriamente assegurar os recursos que garantam o Censo em 2022. Com o aumento do Orçamento, a AGU pede que a ação seja indeferida.

*(Com informações de Neila Guimarães, da CNN)

Mais Recentes da CNN