AGU propõe elevar o orçamento para o Censo de 2022 em R$ 292 milhões

Com o novo montante, sobe para R$ 2,292 bilhões a reserva para garantir o Censo 2022, o custo estimado pelo IBGE

Tânia Rêgo/Agência Brasil

Gabriel HirabahasiEvandro Furonida CNN*

em Brasília e em São Paulo

Ouvir notícia

A Advocacia-Geral da União (AGU) encaminhou ao Supremo Tribunal Federal (STF)  uma manifestação com proposta que eleva em R$ 292 milhões a verba destinada à realização do Censo Demográfico 2022. Em petição, o governo informa que os recursos serão incluídos em uma emenda ao PLOA (Projeto de Lei Orçamentária Anual), que será enviada ao Congresso.

Com o novo montante, sobe para R$ 2,292 bilhões a reserva para garantir o Censo 2022. Este é o valor estimado pelo IBGE para que ele seja realizado.

O Censo deveria ter ocorrido em 2020, mas foi adiado por causa da pandemia. Para 2021, o governo alegou que não teria condições financeiras de realizá-lo.

O instituto estimou em R$ 2,292 bilhões o custo da pesquisa, enquanto a peça orçamentária do governo Bolsonaro previ apenas R$ 2 bilhões, uma diferença de quase R$ 300 milhões em relação ao pedido do IBGE.

Provocado pelo estado do Maranhão, o STF decidiu em maio, por dez votos a um, que o Poder Executivo deve obrigatoriamente assegurar os recursos que garantam o Censo em 2022. Com o aumento do Orçamento, a AGU pede que a ação seja indeferida.

*(Com informações de Neila Guimarães, da CNN)

Mais Recentes da CNN