Airbnb queimou mais de US$ 1,2 bilhão de caixa antes de IPO, diz site

Site do Airbnb, plataforma de aluguel de casas e apartamentos para turismo
Site do Airbnb, plataforma de aluguel de casas e apartamentos para turismo Foto: Divulgação

Niket Nishant,

da Reuters

Ouvir notícia

O Airbnb queimou mais de US$ 1,2 bilhão entre meados de 2019 e 2020, antes de sua oferta pública inicial (IPO), publicou o site The Informationo nesta quarta-feira, citando documentos financeiros.

A queima de caixa esgotou mais de um terço das reservas que a empresa tinha em março de 2019, após a pandemia de Covid-19 nas viagens globais prejudicar o setor de viagens e o Airbnb, que já havia sido enfraquecido por enormes gastos com contratação e marketing, de acordo com o relatório.

A maior parte da queima de caixa ocorreu no primeiro trimestre deste ano, quando a empresa teve que pagar reembolsos de viagens devido à pandemia, acrescentou o relatório.

No início de 2020, o Airbnb levantou US$ 2 bilhões com investidores como Silver Lake e Sixth Street Partners.

Leia também:
Presidente do Airbnb: pessoas estão reservando estadia de duração mais longa
‘Um Maluco no Pedaço’ completa 30 anos com especial, remake e mansão no Airbnb

A Reuters relatou na semana passada que o Airbnb pretende captar cerca de 3 bilhões de dólares em seu IPO, citando pessoas familiarizadas com o assunto, à medida que aproveita a recuperação inesperadamente acentuada em seus negócios.

De acordo com a reportagem, o Airbnb deve usar esse dinheiro em parte para pagar dívidas.

Com milhões de turistas cancelando planos de férias, viagens de trabalho e visitas familiares, o Airbnb já havia dito que está alocando 250 milhões de dólares para ajudar a compensar as perdas incorridas pelos clientes.

No fim de março, a empresa suspendeu atividades de marketing para economizar 800 milhões de dólares em 2020 e informou que seus fundadores não receberiam salário por seis meses, e que os principais executivos aceitariam um corte de 50%.

O Airbnb se recusou a comentar.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook

Tópicos

Mais Recentes da CNN