Alemanha “ficará mais pobre” por causa de guerra na Ucrânia

"Não é possível que isso acabe sem custos para a sociedade alemã, é impensável", disse Robert Habeck

Dados preliminares indicam que a inflação do país atingiu 7,3% em março
Dados preliminares indicam que a inflação do país atingiu 7,3% em março Marcos Santos/USP Imagens

Anna Coobando CNN Business*

Ouvir notícia

Alemanha “ficará mais pobre” por causa do ataque da Rússia à Ucrânia, alertou o ministro da economia do governo, já que os preços crescentes da energia alimentam a inflação recorde e ameaçam levar a maior economia da Europa a uma recessão.

“Não é possível que isso acabe sem custos para a sociedade alemã, é impensável”, disse Robert Habeck à emissora pública ZDF na quarta-feira. “Acredito que estamos prontos para pagar esse preço que é pequeno o suficiente em comparação com os sofrimentos na Ucrânia”.

Dados preliminares indicam que a inflação atingiu 7,3% em março, segundo a Secretaria Federal de Estatísticas do país. Esse é o nível mais alto em mais de 40 anos.

O principal culpado: a disparada dos preços do gás natural e do petróleo, que subiram quase 40% em relação ao ano anterior.

O aumento dos preços da energia era um problema meses antes de a Rússia invadir a Ucrânia, mas a guerra – e os temores de que isso levará a uma crise de oferta na Europa – elevou ainda mais os preços. Esta é uma preocupação especial para a Alemanha, o maior cliente de energia da Rússia na Europa.

O governo alemão indicou na quarta-feira que uma disputa de pagamentos com a Rússia – que exigiu que nações “hostis” paguem em rublos por seu gás natural em vez de euros ou dólares americanos declarados em contratos – pode levar à escassez e, finalmente, ao racionamento.

“A alta dependência do fornecimento de energia russo implica um risco considerável de menor produção econômica e até mesmo uma recessão com taxas de inflação significativamente mais altas”, disse o Conselho Alemão de Especialistas Econômicos em comunicado nesta quarta-feira.

“A Alemanha deve fazer imediatamente todo o possível para tomar precauções contra a suspensão do fornecimento de energia russo e acabar rapidamente com sua dependência das fontes de energia russas”.

O conselho reduziu sua previsão de crescimento do PIB este ano para 1,8%, de 4,6% em dezembro, citando as forças inflacionárias e as interrupções na cadeia de suprimentos causadas pela guerra na Ucrânia.

O Banco Central da Europa até agora adiou o aumento das taxas de juros, ao contrário de seus pares nos Estados Unidos e no Reino Unido, que agiram para domar a inflação nas últimas semanas.

— Inke Kappeler e Mark Thompson contribuíram com reportagem.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN