Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Alemanha vai parar de importar petróleo da Rússia até final do ano, diz ministra

    Presidente do Banco Mundial disse que espera um "forte esforço" das principais economias para reduzir sua dependência da Rússia para fornecimento de energia

    Ministra das Relações Exteriores da Alemanha, Annalena Baerbock
    Ministra das Relações Exteriores da Alemanha, Annalena Baerbock 20/04/2022REUTERS/Ints Kalnins

    da Reuters

    Ouvir notícia

    A Alemanha deixará de importar petróleo da Rússia até o final do ano, disse a ministra das Relações Exteriores da Alemanha, Annalena Baerbock, após uma reunião com seus colegas do Báltico na quarta-feira (20).

    “Portanto, digo aqui clara e inequivocamente que sim, a Alemanha também está eliminando completamente as importações de energia russa”, disse Baerbock.

    “Vamos reduzir pela metade o petróleo até o verão e estaremos em zero até o final do ano, e então será o gás, em um roteiro europeu conjunto, porque nossa saída conjunta, a saída completa da União Europeia, é nossa força comum.”

    Banco Mundial vê economias reduzindo dependência de Rússia e China

    O presidente do Banco Mundial, David Malpass, disse nesta quarta-feira que espera um “forte esforço” das principais economias para reduzir sua dependência da Rússia para fornecimento de energia e da China para cadeias de fornecimento, embora os fluxos de comércio e investimento transfronteiriços devam continuar.

    Questionado sobre o risco crescente de uma fragmentação da economia global após a invasão da Ucrânia pela Rússia, Malpass disse que há uma dependência excessiva da energia russa e das cadeias de suprimentos chinesas e que as mudanças em andamento são necessárias.

    “Isso pode ser bom para a China”, disse ele em coletiva de imprensa. “Como cadeias de suprimentos específicas são menos dependentes da China, isso permite que a China se mova para outros setores e anseie pelos mercados para o futuro.”

    Malpass disse esperar que o comércio e o investimento transfronteiriços continuem, apesar dos ajustes, argumentando que a fragmentação em blocos separados diminuiria a produtividade global.

    “Não vejo isso como um passo negativo. É um passo necessário para o mundo olhar para o crescimento do comércio regional”, disse ele. “Tenho certeza de que o mundo continuará negociando.”

    Malpass disse estar vendo uma forte percepção entre os membros do Banco Mundial e do Fundo Monetário Internacional (FMI) reunidos em Washington nesta semana no sentido de manter os mercados abertos e até expandir o acesso aos mercados para ajudar a lidar com a atual crise de segurança alimentar.

    Mais Recentes da CNN