Alexandre Schwartsman: Inflação já está bastante disseminada e persistente

Para o Especialista CNN em economia, inflação não está mais limitada em alguns itens específicos, mas já está disseminada em grande parte deles

Pedro Zanattada CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

O Especialista CNN em economia Alexandre Schwartsman comentou, nesta sexta-feira (28), sobre o cenário econômico do país a partir dos dados de inflação e de emprego divulgados pelo IBGE neste início de ano.

Sobre a inflação, Schwartsman afirmou que não devemos observar um valor como o do ano passado. “Devemos atingir uma taxa em torno de 5% neste ano. Não quer dizer que seja uma inflação baixa. Comparada com o que se espera para o restante do mundo, ela é relativamente alta.”

“Não podemos esquecer que o Banco Central (BC) tem a meta de um índice de 3,5% para este ano. Passando dos 5% estoura o teto estabelecido e isso significa que o BC terá, mais uma vez, de escrever uma carta com as explicações sobre o resultado”, afirmou.

Para Schwartsman, com os resultados que temos, é possível observar a disseminação da inflação. Embora o resultado do IPCA-15 tenha “registrado uma queda nos preços dos combustíveis, todo o restante dos itens analisados subiram”.

A inflação não está mais limitada na alimentação, na energia, ela já está bastante disseminada e persistente

Alexandre Schwartsman, Especialista CNN

O Especialista CNN também comentou sobre a taxa de desemprego no país. Nesta sexta-feira (28), o IBGE divulgou o novo resultado da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua. Os dados apontam que a taxa de desemprego recuou para 11,6% no trimestre que foi de setembro a novembro.

Schwartsman destacou que a “recuperação de mercado de trabalho que está sendo captada pela Pnad também deve se enfraquecer na esteira da desaceleração econômica”.

Por fim, o Especialista CNN avaliou que, de acordo com os dados divulgados, “a composição do emprego sugere que tenhamos um peso maior no setor da informalidade”.

Veja mais no vídeo acima.

Mais Recentes da CNN