Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Alguns funcionários no escritório, outros em home office: como fazer dar certo?

    Na Trivago, empresa de viagens com sede na Alemanha, a transição para o trabalho remoto provou ser eficaz

    Para encontrar um equilíbrio, a empresa testará um modelo híbrido 
    Para encontrar um equilíbrio, a empresa testará um modelo híbrido  Foto: Pixabay

    Kathryn Vasel,

    CNN Business,

    Ouvir notícia

    Há muita especulação sobre como será o trabalho após a pandemia.

    Algumas empresas disseram que permitirão que seus funcionários trabalhem em home office permanentemente. Outras querem todos de volta ao escritório assim que for seguro. E então há aqueles que ficam em algum ponto no meio do caminho.

    Uma força de trabalho híbrida, onde os colaboradores podem optar por trabalhar tanto remotamente quanto na empresa da maneira que melhor se adapte às suas agendas, oferece muita flexibilidade. Mas também requer comunicação, planejamento e confiança entre os membros da equipe.

    Leia também:
    Home office: americanos estão transferindo o escritório para o quintal; entenda
    Total de trabalhadores de home office cai de 71% para 52%, diz pesquisa
    Preço de notebook dispara com dólar alto e demanda por home office

    É provável que haja muitas tentativas e erros enquanto as empresas tentam descobrir o que funciona melhor para seus empregados e para elas.

    Na Trivago, empresa de viagens com sede na Alemanha, a transição para o trabalho remoto provou ser eficaz, mas o CEO Axel Hefer diz que algo ainda está faltando.

    “Nesse momento estamos nos beneficiando do capital humano que construímos ao longo dos anos em que passamos muito tempo juntos. Isso não pode continuar para sempre”. Hefer acrescentou que as reuniões individuais, os brainstorms criativos e o desenvolvimento de estratégias tendem a funcionar melhor pessoalmente.

    Ao mesmo tempo, ele não quer perder a flexibilidade que o trabalho remoto oferece. Para encontrar um equilíbrio, a empresa testará um modelo híbrido, no qual os funcionários ficam no escritório parte do tempo e trabalham remotamente no restante. Eles farão um teste trazendo funcionários experientes por uma ou duas semanas todos os meses para reuniões e outros eventos da equipe. Os novos funcionários terão treinamento presencial por pelo menos uma semana.

    Hefer sabe que o modelo irá evoluir com o tempo. “Vamos ouvir a devolutiva de todos e ver o que funcionou bem e o que não deu certo para então fazermos algo um pouco diferente”, afirmou. “Pode levar anos para encontrar o equilíbrio certo que funcione para trazer o melhor dos dois mundos”.

    Veja o que alguns especialistas aconselham para administrar uma força de trabalho híbrida com sucesso:

    Comunique-se

    Alguns empregadores podem querer um cronograma definido dos funcionários sobre onde eles planejam trabalhar. Isso pode significar fazer da quinta, sexta e segunda-feira dias remotos, por exemplo, ou alternar semanas inteiras de trabalho no escritório e em casa. Outros podem ficar bem com uma abordagem mais personalizada.

    De qualquer maneira, comunicação e consistência são fundamentais.

    “Se você tem uma equipe dispersa e não consegue reunir todos ao redor da mesa como costumava fazer, como vai mapear os objetivos e as prioridades organizacionais?”, perguntou Rhiannon Staples, diretora de marketing da plataforma de gestão de pessoas Hibob.

    Gerentes precisam ser claros com suas metas, prioridades e objetivos. Já os funcionários precisam ser transparentes sobre quando e onde estão trabalhando e quando estarão ou não disponíveis remotamente.

    “Os gerentes devem definir as expectativas sobre desempenho, comunicação e reuniões pessoais no início do relacionamento híbrido e todos devem entender que isso deve continuar a evoluir com as demandas da empresa”, explicou Vanessa Matsis-McCready, conselheira geral associada e diretora de recursos humanos para Engage PEO.

    Tenha uma política própria

    As empresas devem criar expectativas claras e por escrito sobre onde seus funcionários podem trabalhar.

    “Uma das coisas que os empregadores devem fazer para lidar com locais de trabalho híbridos é examinar suas políticas ou atualizar seus manuais para garantir que as práticas internas sejam seguidas”, disse Deniece Maston, consultora de conhecimento da Society for Human Resource Management.

    Quando se trata de criar políticas, a consistência é fundamental.

    “Se você estiver usando um modelo híbrido, observe se ele é consistente e tome cuidado para não discriminar ninguém ou impor padrões diferentes a pessoas diferentes”, afirmou Matsis-McCready, da Engage PEO.

    A conselheira acrescentou que as políticas devem incluir expectativas de desempenho e comunicação. “Isso pode ser feito, por exemplo, com check-ins diários ou semanais, horários em que se espera que o indivíduo esteja acessível ou estabelecer os tipos de eventos ou dias em que se espera que eles estejam fisicamente presentes”.

    Envolva os gerentes

    Nem todos os gerentes se sentirão confortáveis administrando uma equipe remota.

    “Gerenciar uma força de trabalho remota requer mentalidade, ferramentas e mecanismos próprios”, disse Staples, da plataforma de RH Hibob.

    “É importante ter certeza de que você está vinculando as atividades dos funcionários aos objetivos de negócios. Alguns gerentes precisam ser treinados sobre como fazer isso e como se concentrar nos resultados”.

    Os micro ou subgerentes, em particular, podem ter dificuldade com essa mudança se não forem capazes de ver fisicamente suas equipes.

    Trate a todos igualmente
    Sempre existe o risco de que os colaboradores remotos fiquem fora do campo de vista, longe dos pensamentos e assim sejam preteridos em projetos, promoções e outras oportunidades importantes.

    Não deixe isso acontecer.

    “A administração deve fornecer treinamento, acesso, orientação e oportunidades semelhantes para aqueles que estão remotos e aqueles que ficam no escritório físico”, aconselhou Matsis-McCready.

    Para ela, os gerentes não devem presumir que os funcionários remotos estão menos comprometidos com seu trabalho do que alguém que põe os pés na empresa todos os dias.

    “Comunique-se com todos de forma consistente. Por exemplo, os indivíduos devem ser incluídos em todas as reuniões pertinentes, incluindo aquelas informais que podem afetar um membro remoto da equipe. Eles devem participar por telefone ou videoconferência”.

    Use a tecnologia certa

    Problemas técnicos podem causar uma parada brusca da produtividade.

    Imagine avançar muito em um projeto no escritório e depois descobrir que ele foi salvo em um servidor que não pode ser acessado remotamente, de casa, no dia seguinte. Isso é um problema.

    “A tecnologia precisa ser fluida”, disse Matsis-McCready.

    É importante se assegurar que haja estações adequadas no escritório para conectar os laptops dos funcionários e que todos tenham o acesso correto aos servidores e pastas dentro e fora do escritório.

    (Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês).

     
    Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook

    Mais Recentes da CNN