Alibaba, Tencent e Meituan perdem bilhões de dólares em valor de mercado

Investidores continuam a digerir a crescente repressão de Pequim às empresas privadas

Foto: Fan Jianlei/Jiemian.com/VCG via Getty Images

Michelle Toh, do CNN Business

Ouvir notícia

As ações chinesas de tecnologia continuam sendo atingidas por uma venda espantosamente massiva que eliminou centenas de bilhões de dólares em valor de mercado, à medida que os investidores continuam a digerir a crescente repressão de Pequim às empresas privadas.

A Meituan fechou em queda de 17,7% em Hong Kong na terça-feira, superando a perda massiva de 14% de segunda-feira — tornando-se o pior dois dias da empresa de entrega de alimentos já registrado. A gigante da tecnologia Tencent, por sua vez, caiu 9% em Hong Kong, registrando seu pior dia em cerca de uma década.

A queda da Meituan — que, combinada, eliminou mais de US$ 62 bilhões em valor de mercado para a empresa desde sexta-feira — ocorreu quando os reguladores chineses emitiram novas diretrizes na segunda-feira pedindo melhores padrões para os trabalhadores de entrega de alimentos.

A Administração Estatal de Regulamentação do Mercado da China disse em um comunicado que as empresas devem tomar medidas para garantir que os passageiros recebam pelo menos o salário mínimo local, para reduzir a “intensidade” da carga de trabalho e “fortalecer a educação e o treinamento em segurança no trânsito”, entre outros medidas.

A Meituan opera uma das maiores plataformas de entrega de comida da China, com centenas de milhões de usuários fazendo transações em seu aplicativo anualmente. A empresa disse em um comunicado na terça-feira que “recebeu e estudou de perto” as novas regras e que iria “cumpri-las estritamente”.

“Estamos empenhados em melhorar nossos padrões de conformidade para proteger os direitos de nossos acionistas, que incluem os transportadores”, acrescentou. “Acreditamos que a publicação das novas diretrizes beneficiará o desenvolvimento saudável da indústria de internet da China como um todo.”

As ações da Meituan despencaram mais de 34% até agora neste ano.

As ações de outros gigantes da tecnologia também caíram. As ações das duas empresas mais valiosas da China, Alibaba (BABA) e Tencent (TCEHY) , caíram nas últimas 48 horas, com o Alibaba fechando 6,4% em Hong Kong na segunda-feira e caindo mais 6,4% na terça-feira.
As quedas da Tencent nos últimos dois dias, entretanto, apagaram mais de US$ 100 bilhões de seu valor de mercado.

Com a queda de suas ações, a plataforma de mensagens WeChat da empresa anunciou na terça-feira que suspenderia todos os registros de novos usuários até o início de agosto. Ele disse que a mudança estava relacionada a uma atualização de seus sistemas de segurança, de acordo com “leis e regulamentos relevantes”.

A Tencent também foi atingida por uma ordem regulatória no fim de semana para descartar seu plano de adquirir outro reprodutor de streaming de música, a China Music Corporation. Os reguladores citaram preocupações com a concorrência, observando que a gigante da tecnologia com sede em Shenzhen já lidera o mercado há muito tempo.

A Tencent disse em um comunicado no sábado que aceitava “totalmente” a decisão e “seguiria estritamente as exigências regulatórias”. Também se comprometeu a “cumprir nossas responsabilidades sociais e contribuir para uma competição saudável no mercado”.

Um calafrio palpável

Tencent
Foto: Jason Lee / Reuters

No total, os três gigantes da tecnologia — Tencent, Meituan e Alibaba — perderam mais de US$ 237 bilhões nas últimas 48 horas.

O Hang Seng TECH Index, um índice de tecnologia semelhante ao do Nasdaq que acompanha as maiores empresas de tecnologia em Hong Kong, caiu até 8% na terça-feira, contrariando a tendência regional entre muitos dos principais índices.

Nos últimos meses, a indústria de tecnologia da China sofreu um frio palpável. Desde fevereiro, as ações de empresas de tecnologia chinesas listadas no exterior perderam um valor impressionante de US$ 1 trilhão, de acordo com analistas do Goldman Sachs.

Agora, isso está se espalhando à medida que a repressão da China continua a afetar os setores: as autoridades chinesas recentemente também voltaram sua atenção para o setor de educação privada.

As novas regras publicadas no fim de semana visavam a empresas de tutoria de rápido crescimento, impedindo-as de obter lucro ou levantar fundos nas bolsas de valores. O anúncio do Ministério da Educação da China limpou bilhões de dólares do valor de mercado de várias grandes empresas de educação de capital aberto.

A New Oriental Education & Technology (EDU) despencou quase 50% em Hong Kong na segunda-feira e, posteriormente, fechou com queda de quase 34% em Nova York.

Em alguns casos, pelo menos, as preocupações dos investidores podem ser exageradas, de acordo com o analista da Jefferies, Thomas Chong, que reiterou a recomendação de comprar as ações da Meituan na terça-feira.

A empresa vem trabalhando há muito tempo para melhorar as condições para os passageiros, até mesmo realizando cerca de 100 sessões com trabalhadores desde o ano passado para coletar feedback, ele escreveu em uma nota aos clientes na terça-feira.

“Vemos o retrocesso no preço das ações sobre os detalhes das diretrizes como um exagero”, acrescentou Chong. 

Esta não é a primeira vez que a Meituan se encontra na mira regulatória. No início deste ano, a China lançou uma investigação antitruste em Meituan, com as autoridades investigando seus “acordos de negociação exclusiva”. A empresa também foi uma das dezenas de empresas chinesas de tecnologia convocadas por funcionários em abril, que foram instados a revisar e resolver qualquer comportamento anticompetitivo.

Em maio, o fundador da Meituan, Wang Xing, também se viu em apuros por causa de um poema polêmico que postou — e depois excluiu — nas redes sociais.

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês).

Mais Recentes da CNN