Alimentos e habitação pressionam e IPC-Fipe sobe 1,44% em agosto

O índice mede as variações quadrissemanais dos preços às famílias paulistanas com renda mensal entre 1 e 10 salários mínimos

Alimentos foram os itens que mais subiram de preço até o momento e devem fechar o ano com inflação de 3%, segundo o Ipea
Alimentos foram os itens que mais subiram de preço até o momento e devem fechar o ano com inflação de 3%, segundo o Ipea Foto: Tânia Rego/Agência Brasil

da Reuters

Ouvir notícia

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) de São Paulo acelerou a alta a 1,44% em agosto depois de subir 1,02% em julho, sob pressão dos custos de alimentação e habitação.

Segundo os dados da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) divulgados nesta quinta-feira (2) o grupo Alimentação exerceu o maior peso sobre o índice do mês, com alta de 2,29%.

Os preços de Habitação vieram em seguida, com alta de 1,50% no mês de agosto.

O IPC-Fipe mede as variações quadrissemanais dos preços às famílias paulistanas com renda mensal entre 1 e 10 salários mínimos.

Mais Recentes da CNN