Almoço por quilo fica 13% mais caro em um ano

Especialistas entrevistados pela CNN apontaram que o preço pode ficar mais caro nos próximos meses

Artur Nicocelido CNN Brasil Business*

em São Paulo

Ouvir notícia

A Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) realizou um levantamento para saber o quão mais caro ficou o almoço por quilo. E, em um ano, foi constatado que o preço teve um aumento de 13%.

Em janeiro de 2020, por exemplo, o quilo custava em média R$ 56,01; em fevereiro de 2022, R$ 63,39. Se comparado entre outubro de 2021 e fevereiro de 2022, por outro lado, o aumento foi de apenas 0,6%, ou seja, de R$ 63,03 para R$ 63,39 o quilo.

Porém, especialistas entrevistados pela CNN apontaram que, apesar do aumento não ser tão expressivo, o preço pode ficar mais caro nos próximos meses devido à alta do trigo e do gás de cozinha.

A commodity bateu o recorde, segundo Safras & Mercados. O grão chegou a ser negociado a US$ 14,25 por bushel (unidade de medida usada como padrão para negociações internacionais dessas commodities), no dia 7 deste mês.

O analista da Safras & Mercado Luiz Fernando Roque afirmou que a movimentação atual nos valores do trigo e do milho se devem principalmente ao conflito na Ucrânia.

Enquanto o gás de cozinha teve um aumento de 23,2% nos últimos 12 meses, entre março de 2021 e março de 2022, segundo levantamento da CNN, com base em dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

*Com informações de Elis Barreto, da CNN

 

 

Mais Recentes da CNN