Aluguel de imóveis residenciais registra alta de 0,52% em setembro

De acordo com Índice FipeZap, Brasília foi a única capital monitorada que apresentou queda nos preços

Imóvel para alugar em Itaboraí (RJ)
Imóvel para alugar em Itaboraí (RJ) Foto: Tânia Rêgo/Arquivo Agência Brasil

Mylena Guedesda CNN*

no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

O mercado imobiliário vem apresentando uma melhora significativa e, no mês de setembro, o preço do aluguel residencial teve uma alta de 0,52%, após registrar variação de 0,37% em agosto.

Os dados divulgados nesta terça-feira (19) são do Índice FipeZap, realizado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), com base em anúncios online de 50 cidades brasileiras.

Das 11 capitais monitoradas, Brasília foi a única com variação negativa (-0,37%). Enquanto isso, Goiânia (1,58%), Recife (1,51%) e Fortaleza (1,25%) foram as primeiras colocadas do ranking mensal.

À CNN, o economista e coordenador do FipeZap, Eduardo Zylberstajn, destaca que o setor vive uma fase positiva, tanto para venda quanto para o aluguel. Ele explica que a melhora no cenário é natural, mas que a mudança de comportamento por causa da pandemia também contribuiu para a alta e para o perfil dos imóveis buscados.

“É natural, o mercado mobiliário é cíclico, passamos por um período importante de correção dos preços e a gente vive hoje uma fase de dinamismo no mercado imobiliário. Além disso, a pandemia levou as pessoas a repensarem seus arranjos de moradia. Algumas, por exemplo, que puderam adotar o home office, acabaram preferindo se mudar para espaço maiores com valor do m² menor, mesmo que temporariamente”, afirma.

A variação mensal permanece abaixo da inflação do país, medida pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No momento, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) está em 1,16%, mais de 0,60% maior que a alta nos preços do aluguel.

“A inflação está muito alta. Os preços das outras coisas têm subido bastante, principalmente porque a gente tem aí um desarranjo das cadeias produtivas, uma inflação bem espalhada. É isso que a gente tem observado, inflação no Brasil a dois dígitos e o aluguel, apesar de variação positiva, bem abaixo da inflação”, diz Zylberstajn

O preço médio do aluguel encerrou o mês de setembro em R$30,92 por m². São Paulo é a capital do país com o metro quadrado para locação mais caro. Na capital paulista, o m² está sendo alugado por quase 40 reais (39,26 m²). Em seguida, aparecem Recife (R$34,29), Brasília (R$33,25) e Rio de Janeiro (R$31,56).

Em relação ao acumulado em 12 meses, o Índice FipeZap registra alta de 2,14%, variação também inferior à inflação (10,25%). O Rio de Janeiro teve, em setembro, sua maior variação de todo ano de 2021. A capital fluminense tem alta anual de 3,24%. No entanto, ainda está atrás de outras sete capitais, como Recife (11,03%) e Curitiba (10,02%).

 

*Sob supervisão de Helena Vieira

Mais Recentes da CNN