Americanas, Magalu e Meli devem mudar slogan sobre entrega rápida, decide Conar

Conselho publicitário afirma que as varejistas devem detalhar os cenários em que a entrega é mais rápida; empresas poderão recorrer

Serviço de delivery
Serviço de delivery Foto: 10'000 Hours / Getty Images

Wesley Santana, colaboração para o CNN Brasil Business

Ouvir notícia

 

Uma decisão do Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária) pode dar dor de cabeça às varejistas que lutam pelo título de “entrega mais rápida do Brasil”.

O órgão deliberou que Americanas, Magazine Luiza e Mercado Livre devem alterar o slogan de entrega mais rápida em seus anúncios, já que não conseguiram justificar a alegação.

 

O parecer veio de um processo aberto pelo conselho, depois que as próprias empresas denunciaram os anúncios das concorrentes. As varejistas apresentaram argumentos que foram aceitos pelo colegiado, mas apontadas com “possíveis aperfeiçoamentos”, destaca a assessoria de imprensa.

Segundo a relatora, alegações como essa, consideradas de superioridade, precisam de embasamentos técnicos para serem veiculadas. Nesse caso, as empresas até podem seguir a linha da agilidade na entrega, desde que informem em quais cenários e se há uma data ou região específica para isso.

As três empresas podem recorrer da decisão, mas a alteração deve ser feita de forma imediata, antes do julgamento em segunda instância.

Por meio de nota, a Americanas informou que conta com entrega em até 3 horas em todas as capitais do Brasil. “A prioridade para 2021 é o desenvolvimento do modelo de entrega em poucos minutos por meio de uma parceria com a startup Shipp”, afirmou.

Já o Magazine Luiza reforçou que “investe permanentemente em melhorias em seu sistema logístico, que atualmente conta com mais de 8 mil motoristas, 103 unidades logísticas e 23 centros de distribuição”, garante.

O CNN Brasil Business também tentou contato com o Mercado Livre, mas o marketplace não respondeu até a publicação desta reportagem.

Popeyes vs KFC pelo melhor frango frito

Essa não é a única vez que o Conar decide uma disputa de gigantes. Em março, o órgão acatou uma denúncia do Burger King, controlador do Popeyes no Brasil, que alegava que o rival KFC não podia comprovar que vendia o melhor frango do mundo.

Então, em uma ofensiva, o Popeyes chegou a fazer uma campanha promocional, baseada na decisão do conselho, distribuindo lanches gratuitos para os “frustrados” com a concorrência.

No entanto, o Conar também determinou a suspensão da promoção, visto que a rede fazia uso indevido do nome do conselho. O Popeyes continuou distribuindo lanches, mas sem fazer menção ao órgão.

Mais Recentes da CNN