Americanas promete entrega de produtos da China em menos de duas semanas

Segundo a varejista, cinco voos semanais trarão os produtos chineses; todo o processo poderá ser rastreado pelo cliente

Americanas vai entregar produtos da China em 11 dias
Americanas vai entregar produtos da China em 11 dias Foto: SOPA Images / Colaborador / Getty Images

Tamires Vitorio, do CNN Brasil Business, em São Paulo

Ouvir notícia

 

A Americanas (antiga Lojas Americanas) afirmou que, a partir da próxima semana, passará a entregar produtos importados da China em até 11 dias. Ao todo, cinco voos semanais vindos do país asiático trarão diversos itens para as terras brasileiras. Segundo a varejista, todo o processo poderá ser rastreado pelo cliente. 

Para realizar as entregas de forma mais rápida, a plataforma de logística da Americanas, a LETs, passará a contar com o fretamento de voos cargueiros internacionais “para ampliar a conexão do Brasil com lojistas da China”. Segundo a empresa, “a iniciativa reduz as escalas da rota, criando um ‘duto internacional expresso’ para os produtos”. Anteriormente eram realizados apenas dois voos semanais. 

“A entrega é uma parte fundamental da experiência de compra e o prazo para recebimento é um fator relevante para a decisão do cliente. Nosso foco está em aprimorar a jornada de compra de produtos internacionais na plataforma e reduzir ainda mais o prazo de entrega, que já caiu pela metade desde o início do ano. A operação de um duto expresso internacional faz com que tenhamos o menor prazo de entrega no mercado brasileiro”, diz Marcelo Nunes, diretor financeiro da plataforma digital da Americanas. 

Chamado de “Americanas Mundo”, o negócio de importados da varejista apresentou crescimento de mais de 100% no primeiro trimestre deste ano em relação ao mesmo período de 2020. A companhia afirma que “a frente foi responsável pelos itens mais vendidos nas categorias de áudio, brinquedos, wearables (smartwatches, smartbands e óculos de realidade virtual) de janeiro a março deste ano”.

Mais Recentes da CNN