Dá para antecipar o saque-aniversário do FGTS, mas é preciso pagar juros altos

Só contrate se realmente for necessário, porque há financiamentos mais em conta, como os habitacionais que custam cerca de 6,5% ao ano, diz José Pio Martins

Saque-aniversário: <span style="color: rgba(0, 0, 0, 0.85); font-size: 16px;">se a pessoa que usa essa modalidade é demitida da empresa, pode sacar apenas 40% do valor total</span>
Saque-aniversário: se a pessoa que usa essa modalidade é demitida da empresa, pode sacar apenas 40% do valor total se a pessoa que usa essa modalidade é demitida da empresa, pode sacar apenas 40% do valor total

Magaléa Mazziotti, colaboração para o CNN Brasil Business

Ouvir notícia

Assim como qualquer contratação de crédito via internet banking, o empréstimo concedido às pessoas que optaram pelo saque-aniversário do FGTS exige atenção. É que a facilidade em obter os recursos custa caro: quase 12% de juros ao ano. 

“Em linhas gerais, uma taxa de 0,99% ou 1% ao mês no Brasil sempre foi considerada baixa, mas o problema é que o Brasil sempre teve inflação alta e hábito de juros igualmente muito elevados. Só que 0,99% ao mês é quase 12% ao ano, o que no padrão de hoje não é juro baixo”, afirma José Pio Martins, economista e reitor da Universidade Positivo. Até porque se trata de um empréstimo com garantia, o próprio depósito do FGTS. 

Leia também:
Caixa lança crédito para antecipar até 3 parcelas do saque-aniversário do FGTS
Auxílio emergencial: governo divulga novo calendário para quem foi reavaliado

“Só contrate se realmente for necessário, porque há financiamentos mais em conta, como os habitacionais que custam cerca de 6,5% ao ano.” Mas, em comparação a outras modalidades, como cheque especial, é realmente um financiamento mais barato. A dica, portanto, é conversar com o gerente e tentar negociar uma redução nas tarifas. 

Martins defende que sempre que houver oportunidade vale a pena sacar o dinheiro do fundo, pois ele rende menos do que a inflação e a poupança. Logo, vale mais a pena tirar o recurso e aplicar em outro investimento.

“Toda decisão de flexibilização do acesso ao FGTS, como o saque-aniversário, libera um pedacinho do valor acumulado pelo trabalhador e cumpre a missão de injetar dinheiro na economia, além de ter um impacto enorme na renda de quem ganha salário mínimo”, avalia. 

Como funciona o saque-aniversário?

Uma vez por ano, próximo à data do seu aniversário, a pessoa física que opta por essa modalidade retira um percentual do valor. Pela regra, se a pessoa que usa essa modalidade é demitida da empresa, pode sacar apenas 40% do valor total, o restante fica retido.

A pessoa pode aderir a essa modalidade até o último dia do mês anterior ao mês de aniversário. É importante ficar atento à data de solicitação para não haver confusão nas datas de retiradas no futuro. A pessoa pode receber a parcela a partir do primeiro dia do mês de aniversário e sacar o valor até dois meses depois da liberação.

Como recorrer ao empréstimo via saque-aniversário?

Essa modalidade de financiamento é concedida somente para pessoas físicas que aderiram ao saque-aniversário — bem semelhante à antecipação do Imposto de Renda. Até o momento, a linha de antecipação de crédito só é oferecida pelos bancos públicos (Caixa e Banco do Brasil), mas os privados já demonstraram interesse.

O tomador pode antecipar até três anos (parcelas referentes aos próximos três saques- aniversários), e a data do crédito do último ano não pode ultrapassar o limite de 999 dias a contar da contratação.

Os requisitos são: ser maior de 18 anos ou emancipado, possuir conta poupança ou conta corrente na Caixa ou Banco do Brasil e estar com CPF em situação regular na Receita Federal.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook

Mais Recentes da CNN