Após arroz, governo cria cota com tarifa zero para importação de trigo

A medida começou a valer nesta quarta-feira (2), com a publicação de um decreto presidencial no Diário Oficial da União

Foto: Melissa Askew/Unsplash

Ouvir notícia

O presidente Jair Bolsonaro reduziu a 0% a alíquota do Imposto de Importação do trigo. A cota global mínima será de 750 mil toneladas do grão por ano. 

A medida começou a valer nesta quarta-feira (2), com a publicação de um decreto presidencial no Diário Oficial da União.

Com isso, o governo brasileiro reincorporou a concessão da tarifa zerada no âmbito do Acordo Geral sobre Tarifas Aduaneiras e Comércio (GATT) da Organização Mundial do Comércio (OMC).

Leia também:
Por que o arroz está tão caro? Saiba os motivos da alta do preço da cesta básica
5 dicas da Nathalia Arcuri sobre o que fazer com o décimo terceiro

De acordo com a Secretaria-Geral da Presidência, no caso do trigo, “a medida permitirá diversificar os fornecedores de trigo para o Brasil e reduzir os custos logísticos e de transporte para as importações com destino ao Norte e Nordeste do país”.

Ainda segundo a pasta, a quota com tarifa zero para a importação de trigo, reincorporada nesta quarta, havia sido revogada pelo governo brasileiro em 1996.

O Palácio do Planalto explicou, em nota, que o compromisso brasileiro de aplicar a isenção tarifária novamente veio após “intensas negociações comerciais” com Argentina, Austrália, Canadá e Estados Unidos – onde, em março de 2019, Jair Bolsonaro reforçou o compromisso de reimplementar a medida.

Arroz

Em setembro, a Câmara de Comércio Exterior (Camex) decidiu zerar a taxa de importação do arroz para uma cota de 400 mil toneladas do produto até o final do ano, a pedido do Ministério da Agricultura. O motivo? Frear o aumento de custos para a população.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook

Mais Recentes da CNN