Após nove meses de alta, agropecuária tem saldo negativo de empregos em outubro

Queda é explicada pela menor demanda de grãos; Apesar de enfrentar um embargo da China, carne bovina não influenciou no resultado

Apesar do resultado ruim em outubro, especialistas olham próximos meses com otimismo graças às festas de fim de ano
Apesar do resultado ruim em outubro, especialistas olham próximos meses com otimismo graças às festas de fim de ano Reuters

Lucas Janoneda CNN

Rio de Janeiro

Ouvir notícia

O setor agropecuário brasileiro registrou, no mês de outubro, um saldo negativo de criação de empregos. No mês, foram 83,5 mil contratações, contra 89,3 desligamento, o que resultou em um déficit de 5,8 mil postos de trabalho no período.

Os dados fazem parte de um levantamento da CNN, realizado nesta segunda-feira (6), com base em dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

A plataforma oficial do Ministério do Trabalho aponta que foi o primeiro recuo registrado pelo segmento em dez meses, já que, entre janeiro e setembro, o setor contratou em média 985 mil pessoas e demitiu apenas 808 mil – com um saldo de aproximadamente 177 mil novas vagas criadas.

Atualmente, 1,7 milhão de pessoas trabalham no setor agropecuário brasileiro.

O Caged detalha que as ‘Atividades de Apoio à Agricultura e à Pecuária’, que abrangem consultoria e assessoria técnica na área, foram as que mais tiveram cortes em outubro. Somente esse segmento registrou um saldo negativo de 4,8 mil funcionários, pressionado pela sazonalidade de grãos.

Outro segmento afetado foram as empresas responsáveis pela ‘Produção de Lavouras Permanentes’, que são tipos de cultura que permitem colheitas sucessivas, sem necessidade de replantio, como o café e algumas frutas como a maçã e a laranja. O setor demitiu cerca de 3,8 mil pessoas no mês de outubro.

À CNN, Hyberville Neto, médico veterinário e representante da Scot, consultoria especializada no setor, atribui os resultados ruins à sazonalidade e aponta dois produtos como os que mais influenciaram a redução de contratações de outubro.

“A cana de açúcar e o café tiveram uma queda importante em outubro por causa da sazonalidade. Também tivemos um déficit para essas culturas no mesmo mês do ano passado. Isso acontece pela sazonalidade própria das lavouras. Há períodos em que esses produtos demandam mais mão de obra, em outros momentos ocorre redução. Esse resultado negativo está mais relacionado com a sazonalidade de culturas do que com a questão da carne bovina”, destacou Hyberville Neto.

Apesar de enfrentar um embargo da China contra a carne bovina do Brasil, a pecuária brasileira registrou uma alta em outubro. Segundo os dados do Caged, o segmento apresentou um salto positivo de 1,7 mil postos de trabalho no mês.

A doutora em economia e pesquisadora associada do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), Ana Cecília Kreter, explica que o aumento da demanda interna, por conta das festas de fim de ano, foi capaz de suprir as demissões que o embargo poderia causar.

“A maior parte da produção brasileira de carne bovina vai para o próprio mercado interno, apenas 20% do produto é exportado para outros países. Mesmo a China sendo a parceira mais importante do Brasil nesse segmento, ela não representa um impacto na geração de empregos. Por isso que, neste caso, o efeito do embargo da China não foi possível ser observado”, disse a pesquisadora do Ipea.

Ainda que o setor tenha registrado um resultado ruim em outubro, os especialistas ouvidos pela CNN mostram otimismo para os próximos meses, apesar da sazonalidade.

Segundo eles, as festas de fim de ano, como Natal e Réveillon, devem aumentar a demanda do produto, o que gerará um maior número de vagas para o setor agropecuário.

“Mesmo com o cenário podendo oscilar ao longo dos meses, por conta da sazonalidade, a perspectiva para a agropecuária, a médio prazo, é positiva. A expectativa para o primeiro trimestre do ano que vem é de boa produtividade. A demanda possivelmente deve melhorar, a exportação vai crescer, tudo isso mostra um sinal positivo para o setor”, finalizou Hyberville Neto.

Mais Recentes da CNN