Apple libera atualização para iOS 15 a partir desta segunda-feira

Nova versão para iPhone e iPads inclui chaves digitais na Apple Wallet e permite que usuários de outros aparelhos entrem em conversas no Face Time

iPhones em loja da Apple
iPhones em loja da Apple Foto: Edgar Su - 8.set.2020/ Reuters

Jordan Valinskyda CNN

em Nova York

Ouvir notícia

A Apple lança iOS 15, seu sistema operacional ansiosamente aguardado para iPhone e iPads, nesta segunda-feira (20) – incluindo no Brasil.

A data de lançamento foi confirmada em um comunicado da companhia à imprensa sobre os novo iPhones recém-anunciados. Como de costume, a nova versão do iOS estará disponível para download gratuito.

A Apple deu aos usuários um vislumbre do iOS 15 pela primeira vez em junho em sua conferência anual de desenvolvedores.

O novo sistema traz uma variedade de novos recursos, incluindo atualizações para chamadas de vídeo no FaceTime e chaves digitais na Apple Wallet.

No FaceTime, a Apple oferecerá novas opções para permitir que os usuários assistam a filmes ou ouçam música durante uma ligação.

A fabricante também está introduzindo uma nova visualização em grade para transmitir melhor todos os rostos em uma chamada – e, pela primeira vez, os usuários de Android e Windows também poderão participar de chamadas do FaceTime.

Há ainda atualizações na carteira móvel que permitirão aos usuários desbloquear tudo, de sua casa ao quarto de hotel, com chaves digitais no aplicativo.

Nos Estados Unidos, a Apple fez também uma parceria com vários estados que permitirá que as pessoas adicionem suas carteiras de motorista ou de identificação à Apple Wallet, que será aceita nas checagens de segurança em aeroportos.

Também fazem parte do iOS 15 uma variedade de novos recursos de segurança, incluindo uma “proteção de privacidade de e-mail”: o aplicativo de e-mail nos aparelhos da Apple ocultará o IP e a localização do usuário, de maneira que as empresas que enviarem mensagens não poderão vincular as informações a outras atividades online do internauta. Além disso, os remetentes não poderão ver se ou quando o usuário abriu seus e-mails.

Mais Recentes da CNN