Apple prevê problemas de oferta após forte início de ano

Lockdowns chineses prejudicam a produção e a demanda, enquanto guerra na Ucrânia afeta as vendas

Apple prevê problemas de oferta após forte início de ano
Apple prevê problemas de oferta após forte início de ano 21/07/2015REUTERS/Mike Segar

Paresh DaveNivedita Baluda Reuters

Por Paresh Dave e Nivedita Balu, da Reuters

Ouvir notícia

A Apple projetou um cenário difícil na quinta-feira (29), uma vez que os lockdowns chineses prejudicam a produção e a demanda, a guerra na Ucrânia afeta as vendas e o crescimento desacelera no setor de serviços.

O diretor financeiro da companhia, Luca Maestri, alertou que o conflito, que levou a Apple a parar suas vendas na Rússia, cairá mais profundamente.

Ele disse a analistas em teleconferência que problemas na cadeia de suprimentos prejudicarão as vendas deste trimestre em US$ 4 a US$ 8 bilhões, substancialmente maior do que o impacto no trimestre anterior.

A receita fiscal geral da Apple foi de US$ 97,3 bilhões, alta de 8,6% em relação ao ano passado e superior à estimativa média dos analistas de US$ 93,89 bilhões, segundo dados da Refinitiv.

A receita mundial de vendas de telefones foi de US$ 50,6 bilhões, aumento de 5,5% ano a ano, e as vendas de serviços aumentaram 17%, para US$ 19,8 bilhões, ambos acima das previsões médias dos analistas.

O lucro total foi de US$ 25 bilhões, ou US$ 1,52 por ação, superando facilmente as expectativas dos analistas de US$ 23,2 bilhões e US$ 1,43 por ação.

A Apple também aumentou seu dividendo em 5%, para US$ 0,23 por ação e o conselho aprovou uma recompra de US$ 90 bilhões adicionais em ações.

Os investidores estão se preparando para quedas nos gastos dos consumidores em aparelhos e serviços de tecnologia, à medida que a guerra na Ucrânia e outros fatores aumentam o custo do petróleo, alimentos e outros produtos básicos.

A Apple disse que as vendas do iPad caíram 2%, para US$ 7,65 bilhões enquanto a receita de computadores Mac aumentou 14,7%, para  US$10,4 bilhões.

As vendas de produtos como fones de ouvido e relógios aumentaram 12%, para US4 8,8 bilhões, e foi a única unidade a não atingir as metas de Wall Street. Maestri disse que o Watch e o AirPods venderam bem e atribuíram a queda à sazonalidade na demanda por outros acessórios.

A Apple disse que agora tem 825 milhões de assinantes pagantes em suas pelo menos sete ofertas de assinatura, um aumento de 40 milhões em relação aos 785 milhões do último trimestre. O crescimento ocorre enquanto rivais como a Netflix relataram perdas de assinantes.

Mais Recentes da CNN