Ásia: bolsas fecham em baixa, de olho em manufatura chinesa e variante indiana

Dados oficiais mostraram a mesma tendência de queda do PMI manufatureiro da China no período, de 51 para 50,9

Foto: Toru Hanai/File Photo/Reuters

Sergio Caldas,

do Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

As bolsas asiáticas fecharam em baixa generalizada nesta quinta-feira (1) na esteira de dados fracos da atividade manufatureira chinesa e em meio a temores com a disseminação da variante indiana do coronavírus pelo mundo.

O índice acionário japonês Nikkei caiu 0,29% em Tóquio hoje, a 28.707,04 pontos, enquanto o Hang Seng recuou 0,57% em Hong Kong, a 28.827,95 pontos, o sul-coreano Kospi cedeu 0,44% em Seul, a 3.282,06 pontos, e o Taiex registrou perda de 0,23% em Taiwan, a 17.713,94 pontos.

Na China continental, o Xangai Composto teve baixa apenas marginal, de 0,07%, a 3.588,78 pontos, enquanto o menos abrangente Shenzhen Composto se desvalorizou 0,97%, a 2.442,26 pontos.

Pesquisa da IHS Markit/Caixin Media mostrou que o índice de gerentes de compras (PMI) industrial chinês diminuiu de 52 em maio para 51,3 em junho, atingindo o menor patamar em três meses. Dados oficiais, publicados um dia antes, mostraram a mesma tendência de queda do PMI manufatureiro da China no período, de 51 para 50,9. Os números não muito distantes de 50 mostram que o setor industrial chinês está se expandindo em ritmo modesto.

Investidores também seguem atentos aos desdobramentos da variante da Índia do coronavírus, que se espalha rapidamente pela Ásia, Europa e África, ameaçando planos de reabertura econômica.

Na Oceania, a bolsa australiana também ficou no vermelho, pressionada por novos surtos de Covid-19 no país. O S&P/ASX 200 caiu 0,65% em Sydney, a 7.265,60 pontos.

Mais Recentes da CNN