‘Aumento da carga tributária nos remete a um ambiente medieval’, diz deputado

Governo federal deve estender o pagamento do auxílio emergencial até o final do ano e a carteira de ações recomendadas por gestores para o CNN Brasil Business

Podcast Abertura de Mercado 
Podcast Abertura de Mercado  Foto: CNN Brasil

Fernando Nakagawada CNN

Ouvir notícia

Para o relator da reforma tributária, Aguinaldo Ribeiro, do PP, a tentação de aumentar a carga tributária no país é similar a de um ambiente medieval: “quando o rei vê necessidade, manda criar mais impostos”. E mais: governo federal deve estender o pagamento do auxílio emergencial até o final do ano e a carteira de ações recomendadas por gestores para o CNN Brasil Business.

No episódio de hoje:

– Em uma live promovida pelo Jornal O Valor Econômico, Aguinaldo Ribeiro, do PP, indicou ser contra a criação de imposto sobre transações financeiras nos moldes da antiga CPMF. Segundo o deputado, além de remeter a um ambientel medieval, em que o rei cria mais impostos quando vê necessidade, ele argumentou que impostos como a CPMF são especialmente ruins, pois pesam sobre toda a sociedade de forma cumulativa. 

O presidente Jair Bolsonaro estaria estudando a prorrogação do auxílio emergencial até o fim do ano. A informação é da analista de política da CNN, Renata Agostini. As novas parcelas devem ter valor menor que os atuais R$ 600. Pesquisas mostram que o pagamento do ‘coronavoucher’ aumentou a popularidade de Bolsonaro em regiões do norte e nordeste do país. 

– Mas, enquanto pensa em estender o pagamento do auxílio, o governo federal está sem dinheiro em caixa. Com esse cenário na mesa, passou a tomar dinheiro emprestado no mercado financeiro, com a emissão de títulos do Tesouro Nacional. Em junho, o governo pegou R$ 139 bilhões emprestados no mercado. Com isso, a dívida pública no Brasil alcançou R$ 4,4 trilhões.

– Ainda na temporada de balanços do segundo trimestre, o Banco Itaú reportou lucro de R$ 4 bilhões no período. O valor é 40% inferior quando comparado com o ano anterior. A queda no lucro foi gerada basicamente pela reserva que o banco fez de R$ 7,5 bilhões para eventuais calotes e inadimplência. 

– O recuo no lucro do Itaú é similar a dos maiores bancos do país. O Bradesco e o Santander também tiveram queda de 40% e 41%, respectivamente. Já no “ranking” de lucro, o Itaú saiu na frente. Em seguida, aparece o Bradesco, com R$ 3,9 bilhões e o Santander, com R$ 2,1 bilhões. 

– O novo mês começou e, com isso, o CNN Brasil Business atualizou a carteira de ações preferidas pelos analistas. Na carteira recomendada do mês, há vários papéis do setor financeiro. O destaque é a B3, que recebeu 6 indicações. 

Nos Estados Unidos, Donald Trump não demonstrou qualquer contrariedade da possibilidade da Microsoft comprar o TikTok. O presidente ameaça bloquear o aplicativo no país, a menos que uma empersa americana compre o TikTok até o dia 15 de setembro.  

– Ainda no país norte-americano, o presidente do banco Goldman Sachs está sendo investigado pelas autoridades por promover um show beneficente em Nova York no dia 25 de julho. O executivo está sendo acusado de causar aglomeração em meio as medidas des de isolamento social. 

– Agenda: Nesta terça-feira, o IBGE divulga dados da produção industrial de junho. A expectativa é de aumento de 7% na comparação com maio. Na China, saem dados preliminares sobre o ritmo da atividade econômica do mês de julho. 

– Balanços: os investidores saberão hoje como foi o impacto da crise do novo coronavírus para as empresas Alpargatas, dona da Havaianas; Banco Pan e Iguatemi. Já no exterior, saem os dados da Disney, Sony e British Pretroleum. 

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook

Mais Recentes da CNN