Austrália deve fazer Facebook e Google pagarem por conteúdo noticioso

O movimento tem enfrentado forte oposição de gigantes da internet e visa a proteger o jornalismo independente

Imagem digital do Facebook.
Imagem digital do Facebook. Foto: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

Byron Kaye, da Reuters

Ouvir notícia

A Austrália finalizou nesta terça-feira seus planos para fazer o Facebook e o Google pagarem os meios de comunicação por conteúdo noticioso, um movimento mundial que tem enfrentado forte oposição de gigantes da internet e visa a proteger o jornalismo independente.

Sob as leis que serão votadas nesta semana, o secretário do Tesouro, Josh Frydenberg, disse que as empresas de tecnologia devem negociar os pagamentos pelo conteúdo que aparece em suas plataformas com veículos jornalísticos locais. Se não conseguirem chegar a um acordo, um árbitro nomeado pelo governo decidirá por eles.

Leita também:
BMW desenvolve centro de dados em nuvem em parceria com Amazon
O dólar está quase voltando para a casa dos R$ 4 – vai cair ainda mais?

“Esta é uma grande reforma, é a primeira do mundo, e o mundo está observando o que acontece aqui na Austrália”, disse Frydenberg a repórteres na capital Canberra.

“Nossa legislação ajudará a garantir que as regras do mundo digital sejam um reflexo das regras do mundo físico … e, em última instância, sustentem nosso setor de mídia.”

O diretor administrativo do Facebook Austrália, Will Easton, disse que a empresa avaliaria a legislação e “se envolveria no processo parlamentar que se aproxima com o objetivo de chegar a uma estrutura viável para apoiar o ecossistema de notícias da Austrália”.

Um representante do Google não quis comentar, dizendo que a empresa ainda não viu a versão final da proposta.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook
 

 

Mais Recentes da CNN