Banco Central exigirá divulgação de metas climáticas a partir de 2022, diz Campos Neto

Presidente do BC participou nesta quarta (10) de evento no âmbito da COP26 sobre divulgação obrigatória de risco climático pelo setor privado

Presidente do BC, Roberto Campos Neto
Presidente do BC, Roberto Campos Neto Adriano Machado/Reuters

Murillo Ferrarida CNN*

Ouvir notícia

O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, afirmou que entre as informações obrigatórias que as instituições financeiras terão que divulgar sobre aspectos relacionados ao clima a partir de 2022 estarão métricas e metas.

“A expectativa é que as instituições financeiras publiquem esse relatório anual até junho de 2023, com informações de até dezembro de 2022”, disse o presidente do BC nesta quarta-feira (10).

Através de um vídeo gravado, Campos Neto participou do evento “Mandating private sector climate risk disclosures” (Divulgação obrigatória de risco climático do setor privado, em tradução livre), promovido pelo Climate Disclosure Standards Board (CDSB) e pelo Ministério das Relações Exteriores da Nova Zelândia no âmbito da COP26.

“Acreditamos que os riscos climáticos representam desafios significativos para o futuro. Para lidar com esses desafios, o Banco Central do Brasil precisa estar na linha de frente do conhecimento e das ações, respondendo à evolução das demandas da sociedade, mudanças estruturais na economia, e a riscos futuros e atuais de choques”, disse Campos Neto.

“Para Bancos Centrais, ter uma agenda de sustentabilidade é importante porque essas questões têm potencial para afetar dois mandatos: política monetária e estabilidade financeira”, continuou.

Ele pontuou que em setembro o BC já tornou obrigatório que as instituições financeiras divulguem informações sobre clima como parte de seus relatórios financeiros. Essa primeira fase, contudo, envolverá apenas aspectos qualitativos do tema, com a abordagem quantitativa prevista para o próximo ano.

O presidente do BC avaliou que questões climáticas e do meio ambiente há muito têm sido tópicos importantes na agenda internacional, mas ganharam ainda mais relevância depois da pandemia.

De acordo com Campos Neto, as divulgações obrigatórias de riscos socioambientais e climáticos implementadas pelo BC são baseadas nos quatro elementos centrais da recomendação Força-Tarefa sobre Divulgações Financeiras Relacionadas ao Clima (TCFD): governança, estratégia, gerenciamento de risco, e métricas e objetivos.

(*Com informações da Agência Reuters)

Mais Recentes da CNN