Bentley de US$ 2 milhões não tem teto, mas não é conversível

Com poucas unidades sendo fabricadas (e pelo preço alto), o Bacalar é, essencialmente, um carro conceito de propriedade privada; veja fotos

O Bacalar não é um conversível. Realmente não tem teto, nem mesmo uma capota dobrável
O Bacalar não é um conversível. Realmente não tem teto, nem mesmo uma capota dobrável Peter Valdes-Dapena/CNN

Peter Valdes-Dapenado CNN Business

Ouvir notícia

Houve uma leve garoa quando eu estava me preparando para dar um pequeno passeio no novo Bacalar, da Bentley. Normalmente, isso não seria uma grande coisa. A chuva mal bastava para justificar um guarda-chuva. Bom, exceto pelo fato de o Bentley Bacalar não ter um teto.

O Bacalar não é um conversível. Realmente não tem teto. Nem mesmo uma capota dobrável.

Se os proprietários não podem dirigir seu Bacalar na chuva, isso é um problema. Você pode ter certeza de que as pessoas que podem comprar este carro de US$ 2 milhões têm outros em que podem se molhar.

A falta de um telhado deu aos designers da Bentley uma espécie de liberdade que eles raramente têm quando precisam descobrir onde esconder uma tampa dobrável e colocar mecanismos feios de trava.

“Quando você não tem um teto, pode fazer o fluxo da cabine entrar no contorno do exterior. Este carro tem muito a ver com a linguagem do design”, disse o porta-voz da Bentley, Tim Hannig, que me acompanhou no trajeto . “E queríamos criar algo de beleza extraordinária. Portanto, sem teto.”

Os designers da Bentley tiveram liberdade com o Bacalar que raramente têm com um carro de produção / Peter Valdes-Dapena/CNN

Apenas uma dúzia desses Bacalars será construída. Com poucas unidades sendo fabricadas (e pelo preço alto), o Bacalar é, essencialmente, um carro conceito de propriedade privada. Embora, ao contrário da maioria dos carros-conceito, seu uso seja legalizado em estradas.

Ninguém poderia dar um preço exato pelo Bacalar que eu estava dirigindo, porque ele era literalmente inestimável. “Car Zero”, como estava escrito de forma bastante espalhafatosa na lateral, é o protótipo Bacalar, e a Bentley não tem planos para vendê-lo. Ele havia sido pintado de branco para teste, para que quaisquer rachaduras ou falhas potenciais no corpo fossem mostradas mais facilmente, e só recentemente havia sido repintado de um verde oceano profundo.

O Bacalar com tração nas quatro rodas tem um motor turbo de 12 cilindros com 650 cavalos de potência, mas seu objetivo não é ser um carro esportivo de alto desempenho nas ruas. Os clientes que desejam esse tipo de coisa podem comprar algum veículo da Lamborghini, marca irmã da Bentley. (Ambos são propriedade do Grupo Volkswagen.)

Com sua direção suave, assentos confortáveis ​​e amplo espaço no porta-malas, o Bacalar foi projetado para ser o tipo de carro que alguém dirige todos os dias, embora provavelmente não o faça.

O desempenho não foi totalmente deixado de fora das considerações de engenharia, é claro. Embora seu corpo seja totalmente diferente, o Bacalar compartilha muitas de suas peças básicas com um Bentley Continental GT, mais especificamente com o modelo GTC Speed. Mas o Bacalar é algumas centenas de libras mais leve, graças a um corpo feito principalmente de uma cara fibra de carbono.

Dispensar o teto e os bancos traseiros também economizou peso. Isso tudo ajudou a diminuir o centro de gravidade do carro, o que melhora o manuseio nas curvas. Pesando cerca de 5.300 libras, não é exatamente ágil — e pesa mais do que um sedã de luxo Mercedes de tamanho normal.

Hannig me contou sobre o carro enquanto íamos para um mirante de beira de estrada no Oceano Pacífico. Felizmente, enquanto as nuvens pesadas permaneceram, a chuva parou. E, para garantir a potência do motor, ele pressionou o pedal do acelerador com força algumas vezes, provocando uma aceleração brutal e um estrondo bem alto.

Enquanto esperava minha chance de dirigir, me familiarizei com o interior exclusivo do Bacalar. A madeira aparada vem de uma árvore que caiu há cinco mil anos em um pântano e foi preservada em um processo que também a tingiu de quase preto. A Bentley deixou a cor da madeira em paz. O relógio analógico no centro do painel é azul claro, a tonalidade do Lago Bacalar na Península de Yucatán, no México, famoso por suas águas de cor cintilante.

O interior do Bacalar inclui madeira envelhecida naturalmente por 5 mil anos / Gabe Ramirez / CNN

O Bacalar tem um painel giratório de três lados, um recurso também disponível em outros modelos da Bentley, incluindo o Continental GT. Um lado está “em branco”, parecendo com o resto do painel. Mas, ao pressionar um botão, ele pode virar para que três mostradores antiquados apareçam, incluindo uma bússola. Vire o painel novamente e ele mostra uma tela digital do tipo que quase todo carro tem hoje em dia. Lá você pode ver um mapa de navegação, selecionar uma música para tocar e fazer todo o tipo de coisa que um motorista faz com uma tela.

A única outra peça interna que o Bacalar compartilha com o Bentley Continental GT é um painel de interruptores perto do câmbio. É em grande parte por causa desse painel que o Bacalar, aberto ao mundo como é, tem ar-condicionado. De acordo com Hannig, parecia melhor manter o recurso inútil do que redesenhar o painel de interruptores e remover os botões.

A ênfase no design também significa que o Bacalar não tem uma câmera de backup, embora haja uma tela no painel. Adicionar esse recurso exigiria uma lente de câmera que, os designers achavam, colocaria uma espinha de vidro feia na traseira lindamente projetada do carro. Felizmente, graças à direção nas quatro rodas, o Bacalar conseguiu fazer uma meia-volta para que eu pudesse sair do pequeno estacionamento do mirante.

O Bacalar não é muito atraente do lado de fora à primeira-vista. Para a maioria das pessoas, provavelmente seria registrado como “um bom Bentley”. Olhe só um pouco mais e você perceberá como os faróis estão estendidos nos cantos dianteiros. Você também pode notar a forma como o capô se ajusta ou as proporções gerais do carro. O Bacalar é baixo e musculoso, com protuberâncias subindo atrás de cada assento. Conforme ele passar pelas ruas, você definitivamente perceberá que a extremidade posterior se divide em camadas, como um botão de flor se abrindo.

O design complexo do back-end do Bacalar não deixou nenhum lugar para os designers instalarem com elegância uma câmera de backup / Peter Valdes-Dapena/CNN

Do assento do motorista, o Bacalar parece um Bentley por excelência. Forte e rápido, mas confortável. A direção tem uma sensação e retorno agradáveis ​​e o motor fornece uma potência de som ampla e agradável.

Mas os clientes da Bacalar não estão pagando pelo desempenho. Eles estão pagando pelo design exclusivo do carro, o que lhes dá algo que podem chamar de “unicamente seus”. Todos os 12 carros de produção da Bacalar foram projetados para os gostos particulares de cada cliente, Hannig me disse.

“Cada carro tem a sua própria personalidade”, disse.

Mesmo com seu preço elevado, um carro como este poderia manter seu valor razoavelmente alto devido à sua extrema raridade, disse Donald Osborne, presidente-executivo da Audrain LLC e um colecionador e avaliador de automóveis. O fato de não ter telhado pode limitar seu apelo para alguns, no entanto, disse ele.

Existem outros carros nos quais se poderia gastar essa quantidade de dinheiro e obter níveis absurdos de velocidade e potência que a grande maioria dos proprietários nunca chegará perto de poder desfrutar. O Bacalar só oferece sua beleza e sua singularidade. Também é muito bom dirigir em um dia agradável à beira-mar. Pode ser um pouco impraticável, mas é bom quando um carro muito caro oferece esses prazeres acessíveis.

(Texto traduzido. Leia aqui o original em inglês.)

Mais Recentes da CNN