Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Biden defende gasto público contra pandemia e diz que pacote é só o começo

    É hora de fazer a economia crescer de baixo para cima e do meio para fora, declarou Biden

    O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden
    O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden Foto: Reprodução (21.jan.2020)

    Por Iander Porcella, do Estadão Conteúdo

    Ouvir notícia

    O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, defendeu nesta sexta-feira, (12) o gasto público como forma de gerar crescimento. Durante um evento na Casa Branca para comemorar a aprovação do pacote fiscal, o democrata disse que os estímulos trilionários criarão sete milhões de empregos e são “só o começo”.

    A vice-presidente do país, Kamala Harris, a presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, e o líder da maioria no Senado, Chuck Schumer, também participaram da celebração.

    “É hora de fazer a economia crescer de baixo para cima e do meio para fora”, declarou Biden.

    De acordo com o mandatário, o pacote fiscal “muda o paradigma” da economia, “colocando os trabalhadores desta nação em primeiro lugar”. O presidente americano também disse que a legislação ataca a “emergência” do país, que é a pandemia.

    Em uma crítica velada ao governo de seu antecessor, o ex-presidente Donald Trump, Biden disse que é “realmente importante demonstrar que o governo pode funcionar”.

    Kamala, por sua vez, afirmou que o pacote fiscal é “concreto” e “tangível” e garantirá mais vacinação contra a covid-19. “Hoje a ajuda chegou”, declarou a democrata.

    Biden e as lideranças de Congresso fizeram agradecimentos mútuos pela aprovação do projeto, que foi assinado pelo presidente na quinta-feira, (11) um dia depois de passar no legislativo.

    “Finamente a esperança está em alta, e a ajuda está a caminho”, afirmou Schumer.

    Pelosi, por sua vez, frisou que os democratas cumpriram sua promessa de entregar o pacote fiscal e disse que a “diversidade” é a força do partido.

    Mais Recentes da CNN