Biden pode recorrer ao etanol para reduzir preços de combustível

Medida representa a mais recente tentativa do governo de conter a inflação, que tem atingido níveis recordes nos EUA

Carro sendo abastecido
Carro sendo abastecido 6/12/2007REUTERS/Jason Reed

Por Alexandra Alper e Jarrett Renshaw, da Reuters

Ouvir notícia

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, divulgará planos nesta terça-feira (12) para estender a disponibilidade de maiores misturas de biocombustível na gasolina durante o verão, para conter os custos crescentes do combustível e reduzir a dependência de fontes estrangeiras de energia, disse a Casa Branca.

A medida representa a mais recente tentativa do governo de conter a inflação, que atingiu um novo recorde de 40 anos nesta terça-feira.

A decisão também representa uma vitória para o lobby do milho dos EUA, provavelmente expandindo a demanda por etanol à base de milho e um revés para as refinarias de petróleo que veem o etanol como concorrente.

A medida permitirá que os americanos continuem comprando E15, uma gasolina que usa uma mistura de 15% de etanol, de 1º de junho a 15 de setembro.

Enquanto a E15 é apenas 10 centavos de dólar mais barato em média e rende menos que a gasolina pura, significando que os motoristas precisariam comprar mais combustível, a medida ainda deve ajudar a reduzir as despesas, disseram as autoridades a repórteres em uma ligação prévia do anúncio.

“Essas economias podem aumentar, especialmente durante os meses de verão, quando o combustível está elevado e à medida que a emergência de abastecimento causada pela agressão do presidente russo Vladimir Putin continua”, disse um funcionário do governo.

Mais Recentes da CNN