Bitcoin sobe 8% e bate recorde histórico ao ser negociado por US$ 19,8 mil

Nesta segunda-feira, a criptomoeda ultrapassou o valor mais alto até então negociado de US$ 19.783, em dezembro de 2017

Foto: André François McKenzie/Unsplash

Paul R. La Monica, CNN Business

Ouvir notícia

O bitcoin acaba de bater recorde. Com a alta de 8% nesta segunda-feira (30), a criptomoeda atingiu US$ 19,8 mil, patamar mais alto da história, superando o pico anterior de US$ 19.783 de dezembro de 2017.

Foi um ano fora da curva para o bitcoin, que disparou mais de 175% desde o final de 2019. Em março, os preços despencaram para menos de US$ 4 mil, assim como os demais mercados ao redor do mundo, devido à crise econômica da Covid-19.

Mas o bitcoin subiu drasticamente nos últimos meses com a desvalorização do dólar e com interesse de gigantes como PayPal que agora permitem que seus clientes comprem e vendam bitcoin. A gestora Fidelity, por sua vez, está lançando um fundo de bitcoin para investidores ricos. Sem falar que contratos futuros de bitcoin estão sendo negociados na bolsa de Chicago.

Leia também:
Bolsa tem ação que já subiu 100% em 2020. Veja as melhores e piores até aqui
Ações de empresas de maconha disparam após início de transição de Biden nos EUA

Gestores de investimento proeminentes como Paul Tudor Jones, Stanley Druckenmiller e Mike Novogratz também estão otimistas com o bitcoin.

Em outras palavras, os dias em que o bitcoin era considerado apenas um investimento marginal acabaram. A criptomoeda tornou-se legítima — ao menos, até uma próxima derrocada. A quantidade de bitcoin em circulação atualmente vale mais de US$ 365 bilhões.

Bitcoin também obteve um empurrãozinho depois que um estrategista da BlackRock, a maior firma de gestão de ativos do mundo, sugeriu que o bitcoin poderia um dia substituir o ouro como porto-seguro de investimentos.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook

Tópicos

Mais Recentes da CNN