Black Friday: Saiba como não cair em roubada (e até economizar) em suas compras

Evite vendas por WhatsApp, boletos para pessoas físicas e fique bem de olho no variação do valor do produtos nos últimos meses

Dinheiro, cartões de crédito e cheque: pense bem antes de pagar todas as promoções
Dinheiro, cartões de crédito e cheque: pense bem antes de pagar todas as promoções Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Juliana Faddul,

colaboração para o CNN Brasil Business, em São Paulo

Ouvir notícia

Não é preciso dizer que a Black Friday caiu mesmo no gosto dos brasileiros, mas atire a primeira pedra (ou o primeiro cartão) quem nunca se arrependeu de uma compra impulsiva ou de quantidades exorbitantes. Em entrevista ao CNN Business, o professor de finanças da FGV EESP, Henrique Castro, deu dicas para evitar futuros arrependimentos. Olha só:

Quando a esmola é grande… 

“Desconfie de ofertas muito boas em sites totalmente desconhecidos. Pode ser uma tentativa de capturar dados bancários ou de cartão de crédito para fraudes/clonagem de cartões”

Tudo pela metade do dobro?

Antes de concluir uma compra, pesquise em sites de busca ou em outras lojas pelo mesmo produto ou por produtos similares. Em anos anteriores, aconteceu de lojas aumentarem os preços dias antes da Black Friday para ‘liquidarem’ os produtos depois com preços que eram os mesmos praticados anteriormente. A loja criava uma falsa promoção.”

Vem de zap? Não!

“Cuidado com mensagens de promoções oferecidas via WhatsApp, por exemplo. Não feche transações em aplicativos de mensagem. Pode ser fraude. Utilize sempre o site das lojas, e dê preferência pelas mais conhecidas ou com menos reclamações na Internet. Há vários sites que compilam reclamações dos clientes e como a loja resolveu (ou não) o problema. Tipo Reclame Aqui.”

Falso site

“Evite clicar em links para promoções que chegam por e-mail ou por aplicativos de mensagem. Pode ser um golpe e levar você para um site falso.”

Olho no carrinho!

“Em compras por sites, observe se na hora de pagar a mercadoria está com o mesmo preço de quando você colocou no carrinho de compras. Sites interessados em fraudar podem alterar o preço nesse momento e enganar o consumidor.”

Olho nos boletinhos

“Especialmente se você for fazer pagamentos via boleto (para aproveitar algum desconto), não faça pagamentos se o recebedor for uma pessoa física. Não faz sentido uma loja emitir o boleto em que o beneficiário é uma pessoa física.

Isso é golpe. Também desconfie se a única forma de pagamento do site for via boleto. Lojas sérias oferecem diversas formas de pagamento, dentre elas cartão de crédito.”

Evite compras por impulso

Uma estratégia de marketing que costuma funcionar é fazer o consumidor pensar que aquela é uma oportunidade imperdível e que se deixar passar ele vai se arrepender. Essa estratégia é chamada de FOMO (Fear Of Missing Out), ou o medo de ficar de fora. Fique bem atento

Cuidado com as taxas de juros cobradas em parcelamentos

A remuneração que obtemos com nossos investimentos hoje é baixa. A renda fixa paga 2% ao ano. A poupança paga menos que isso.

Portanto, se você tiver dinheiro para pagar à vista por uma mercadoria e receber o produto na hora (venda em lojas físicas, por exemplo), dê preferência por este tipo de pagamento e negocie o melhor desconto que puder. No mundo de hoje, um desconto de 5% não é de se jogar fora.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook

Mais Recentes da CNN