BNDES admite que pacote para grandes empresas pode chegar a dez setores

O formato do pacote são empréstimos de um sindicato de bancos, que vai incluir BNDES e instituições privadas

Prédio do BNDES no Rio de Janeiro (8.Jan.2019)
Prédio do BNDES no Rio de Janeiro (8.Jan.2019) Foto: Sérgio Moraes/Reuters

Raquel Landimda CNN

Ouvir notícia

O presidente do BNDES, Gustavo Montezano, afirmou neste domingo (19) que o pacote de socorro a grandes empresas pode atingir até dez setores.

Ele explicou que já estão definidos quatro deles –empresas aéreas, distribuição de energia, setor automotivo e varejo não alimentício– mas que há mais pleitos em análise.

“Espero que não passe de nove, dez setores”, disse Montezano em videconferência promovida pelo banco Itaú BBA. Ele também acrescentou a projeção de que o dinheiro seja liberado em maio.

O formato do pacote são empréstimos de um sindicato de bancos, que vai incluir BNDES e instituições privadas. Ainda não há definição sobre qual é a fatia de cada banco.

O objetivo de incluir os bancos privados é reduzir o esforço fiscal do governo e também o risco político. Nos governos do PT, o BNDES foi muito criticado por empréstimos para “campeões nacionais”.

Montezano não mencionou valores, mas, segundo apurou o CNN Business, estão em análise R$ 20 bilhões para o setor de energia, R$ 40 bilhões para o setor automotivo e entre R$ 7,5 bilhões e 10,5 bilhões para as empresas aéreas.

Mais Recentes da CNN