BNDES estende suspensão de novos pedidos de financiamento rural

Novos pedidos estão suspensos desde 7 de fevereiro e seguem assim até 15 de abril; medida inclui recursos para o Plano Safra

Safra de milho na fazenda Cercado Grande, no estado de São Paulo, Brasil.
Safra de milho na fazenda Cercado Grande, no estado de São Paulo, Brasil. Safra de milho na fazenda Cercado Grande, no estado de São Paulo, Brasil. 01/04/2018 REUTERS/Marcelo Rodrigues Teixeira

Rayane Rochada CNN*

no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) prorrogou a suspensão de novos pedidos de financiamentos para crédito rural no país.

Os requerimentos foram suspensos pelo Tesouro Nacional em 7 de fevereiro. Com a medida, até o próximo dia 15 de abril não será possível contratar crédito em solicitações feitas pelo Plano Safra 2021/22.

A pausa na concessão vale para projetos agropecuários ligados ao governo, com recursos operacionalizados pelo BNDES.

De acordo com o diretor técnico da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Bruno Lucchi, esse cenário acontece quando os recursos se esgotam e o banco precisa suspender a linha.

Apesar disso, o BNDES informou à CNN Brasil que o setor não ficará sem crédito, já que a linha BNDES Crédito Rural está aberta e disponível durante todo o ano.

A prorrogação do prazo de suspensão de novos pedidos foi divulgada por meio de uma circular enviada aos bancos. Neste período, apenas a linha de custeio do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) segue sendo financiado, segundo a carta do BNDES.

O Plano Safra foi criado pelo governo federal em 2003, a fim de garantir crédito para agricultores brasileiros investirem e custearem a produção. O programa reúne um conjunto de políticas públicas que abrangem os serviços de Assistência Técnica e Extensão Rural, crédito, seguro da produção, garantia de preços, comercialização e organização econômica das famílias residentes no campo.

 

* sob supervisão de Maria Mazzei

 

Mais Recentes da CNN