Bolsa de NY cai forte com derrocada do petróleo e piora dos efeitos do COVID-19

Homem caminha pela Wall Street, em Nova York, em meio ás preocupações com o avanço do coronavírus nos EUA
Homem caminha pela Wall Street, em Nova York, em meio ás preocupações com o avanço do coronavírus nos EUA foto-lucas-jackson-18-mar-2020-reuters

Reuters

Ouvir notícia

Na terça-feira (21), os principais índices de ações de Wall Street, em Nova York, caíram pelo segundo dia seguido. O motivo desta vez? O colapso dos preços do petróleo nos EUA e a piora relevante das expectativas dos resultados das empresas na temporada de balanços. O temor, agora, é que o mundo entrará em uma profunda crise econômica.

O índice Dow Jones caiu 2,67%, a 23.018,88 pontos, enquanto o S&P 500 perdeu 3,07% para 2.736,57 pontos. O Nasdaq Composite caiu 3,48%, para 8.263,23.    

Todos os 11 índices do S&P 500 caíram 1,6% ou mais, com energia recuando pela sétima vez em oito sessões após o contrato do WTI cair abaixo de zero.    

Com o colapso dos futuros de junho, investidores de ações tornaram-se cautelosos com a extensão da danos causados ??por medidas de bloqueio abrangentes que interromperam os negócios e provocaram milhões de demissões.        

O índice de referência S&P 500 subiu mais de 20% em relação a sua baixa de março, alimentado por trilhões de dólares em estímulo, mas segue quase 20% abaixo do recorde de fevereiro devido a temores de danos econômicos devastadores causados ??pelo coronavírus.    

“O que estamos vendo é gente saindo de ações que têmperformado bem e bem e embolsando lucros enquanto pode”, disse Quincy Krosby, estrategista de mercado da Prudential Financial.

A Coca-Cola Co deu evidências mais recentes do danos causados ??pela crise global, dizendo que os resultados do trimestre atual sofreriam um forte golpe devido à baixa demanda por seus refrigerantes. Suas ações caíram 2,5%.  

Mais Recentes da CNN