Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Bolsas dos EUA recuam com petróleo e temores com conflito entre Rússia e Ucrânia

    Dow Jones caiu 1,29%, para 34.358,5 pontos; o S&P 500 teve queda de 1,23%, para 4.456,24 pontos, e o Nasdaq Composite recuou 1,32%, a 13.922,60 pontos

    Placa de rua sinaliza Wall Street do lado de fora da Bolsa de Nova York
    Placa de rua sinaliza Wall Street do lado de fora da Bolsa de Nova York 03/01/2019REUTERS/Shannon Stapleton

    Devik Jainda Reuters

    Ouvir notícia

    Todos os três principais índices de ações dos Estados Unidos fecharam em queda superior a 1% nesta quarta-feira (23), conforme os preços do petróleo dispararam e líderes ocidentais começaram a se reunir em Bruxelas para planejar mais medidas para pressionar a Rússia a paralisar seu conflito na Ucrânia.

    O Dow Jones caiu 1,29%, para 34.358,5 pontos; o S&P 500 teve queda de 1,23%, para 4.456,24 pontos, e o Nasdaq Composite recuou 1,32%, a 13.922,60 pontos.

    Os preços do petróleo subiram 5% para mais de US$ 121 dólares e os futuros de gás natural também saltaram. Embora preços mais altos do petróleo beneficiem papéis de energia, eles são negativos para consumidores e muitas empresas.

    O setor de energia do índice S&P 500 avançou 1,7% e o de serviços públicos ganhou 0,2%, enquanto todos os outros principais setores do S&P 500 tiveram queda no dia.

    “Esses problemas geopolíticos estão pairando sobre o mercado”, disse Stephen Massocca, vice-presidente sênior da Wedbush Securities em São Francisco.

    “A nova alta dos preços do petróleo está gerando uma pausa nas pessoas”, disse ele, acrescentando: “É preciso haver uma resolução com a Rússia. Isso vai deter o mercado”.

    O declínio na sessão vem após uma série recente de ganhos, quando o mercado se recuperou de baixas recordes atingidas durante o conflito.

    Entre as maiores perdas do dia, as ações da Adobe Inc recuaram 9,3% depois que a desenvolvedora do Photoshop previu na terça-feira receita e lucro desfavoráveis no segundo trimestre, além de ver um impacto na receita fiscal de 2022 por causa da crise entre Rússia e Ucrânia.

     

     

    Mais Recentes da CNN