Bolsas da Ásia fecham em alta, após empresas chinesas aceitarem lei antitruste

Em Hong Kong, o Hang Seng se valorizou 1,42%, a 28.900,83 pontos

Foto: Aly Song/Reuters

Sergio Caldas,

do Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em alta nesta quarta-feira, 14, impulsionadas por ações de tecnologia, após inúmeras empresas chinesas do setor se comprometerem a cumprir leis antitruste.

Na China continental, o Xangai Composto subiu 0,60%, a 3.416,72 pontos, enquanto o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 1,41%, a 2.218,48 pontos.

Em Hong Kong, o Hang Seng se valorizou 1,42%, a 28.900,83 pontos, e em Taiwan, o Taiex registrou modesto ganho de 0,24%, a 16.865,97 pontos.

 

O apetite por risco na Ásia ganhou força após doze empresas chinesas da área de internet prometerem respeitar as normas antitruste do país. A ação da Meituan, que integra esse grupo de empresas, saltou 3,62% hoje em Hong Kong.

Em outras partes do continente asiático, o sul-coreano Kospi subiu 0,42% em Seul, a 3.182,38 pontos, mas o japonês Nikkei foi exceção e caiu 0,44% em Tóquio, a 29.620,99 pontos, pressionado pelo fraco desempenho dos setores financeiro e de metais.

A predominância do tom positivo veio também após dois dos três principais índices acionários de Nova York subirem na terça-feira, com o S&P 500 renovando máxima histórica.

Na Oceania, a bolsa australiana ficou no azul, com ajuda de ações de mineração e tecnologia. O S&P/ASX 200 avançou 0,66% em Sydney, a 7.023,10 pontos, ficando acima da marca de 7 mil pontos pela primeira vez desde fevereiro de 2020. 

Mais Recentes da CNN