Bolsas da Ásia fecham em alta, após sinalização de estímulos na China

O índice Xangai Composto subiu 1,19%, a 3.107,46 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 1,17%, a 1.944,88 pontos

Pedestre caminha em frente à Bolsa de Valores de Xangai
Pedestre caminha em frente à Bolsa de Valores de Xangai 03/02/2020REUTERS/Aly Song

Sergio Caldas, do Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em alta nesta quarta-feira (25), após sinais de que a China dará mais estímulos para impulsionar a economia em meio à sua pior onda de Covid-19.

Após os tombos de terça-feira, os mercados chineses se recuperaram parcialmente: o índice Xangai Composto subiu 1,19%, a 3.107,46 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 1,17%, a 1.944,88 pontos.

Em outras partes da Ásia, o Hang Seng teve modesta alta de 0,29% em Hong Kong, a 20.171,27 pontos, o sul-coreano Kospi registrou ganho de 0,44% em Seul, a 2.617,22 pontos, e o Taiex se valorizou 0,88% em Taiwan, a 16.104,03 pontos.

Exceção nesta quarta, o japonês Nikkei caiu 0,26% em Tóquio, a 26.677,80 pontos.

A predominância do apetite por risco na região asiática veio após reguladores financeiros na China orientarem bancos domésticos a ampliar o apoio à economia real e atender demandas de crédito, em meio à desaceleração da segunda maior economia do mundo.

A situação da Covid-19 no país, no entanto, segue no radar. Em Pequim, onde houve aumento de casos da doença, a tendência é que sejam aplicadas restrições mais severas.

Na Oceania, o dia também foi de recuperação na bolsa australiana. O S&P/ASX 200 avançou 0,37% em Sydney, a 7.155,20 pontos.

Com informações da Dow Jones Newswires.

Mais Recentes da CNN