Bolsas da Ásia fecham em alta, embaladas por recuperação em Nova York

Mercado asiático registrou alta nesta quarta-feira (9), enquanto investidores aguardam dados de inflação dos EUA que podem influenciar decisão do Fed sobre juros

Telão em Xangai mostra flutuação dos mercados acionários
Telão em Xangai mostra flutuação dos mercados acionários Reuters

Sergio Caldas, do Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

As bolsas asiáticas fecharam em alta nesta quarta-feira (9), após a recuperação de Wall Street, enquanto investidores aguardam dados de inflação dos EUA que podem influenciar o ritmo em que o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) elevará juros este ano.

O Hang Seng liderou os ganhos na Ásia, com salto de 2,06% em Hong Kong, a 24.829,99 pontos.

Em outras partes da região, o japonês Nikkei subiu 1,08% em Tóquio, a 27.579,87 pontos, enquanto o sul-coreano Kospi avançou 0,81% em Seul, a 2.768,85 pontos, e o Taiex se valorizou 1,03% em Taiwan, a 18.151,76 pontos.

Na China continental, o Xangai Composto teve alta de 0,79%, a 3.479,95 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 1,61%, a 2.317,23 pontos.

O apetite por risco na Ásia veio após as bolsas de Nova York se recuperarem no fim do pregão de ontem, com destaque para ações de bancos, que tendem a se beneficiar com os planos do Fed de começar a elevar juros nos próximos meses.

Nesta quinta-feira (10), investidores globais vão ficar atentos aos últimos números de inflação ao consumidor (CPI) dos EUA, que segue muito acima dos padrões normais, para tentar avaliar o quão agressivo o BC americano poderá ser no aumento de juros.

Na Oceania, a bolsa australiana seguiu o tom positivo da Ásia e de Wall Street, e o S&P/ASX 200 subiu 1,14% em Sydney, a 7.268,30 pontos.

Mais Recentes da CNN