Bolsas da Ásia fecham em alta, seguindo tom positivo de Nova York

O Xangai Composto subiu 2,40%, a 3.581,34 pontos, atingindo o maior patamar em três meses

Coronavírus chega a 1 milhão de casos no mundo e assusta bolsas asiáticas (13.mar.2020)
Coronavírus chega a 1 milhão de casos no mundo e assusta bolsas asiáticas (13.mar.2020) Foto: Aly Song/Reuters

Sergio Caldas,

do Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

As bolsas asiáticas fecharam em alta nesta terça-feira (25) seguindo o tom positivo de Wall Street ontem, à medida que preocupações com a tendência de alta da inflação global diminuíram e o apetite por risco ganhou força.

O japonês Nikkei subiu 0,67% em Tóquio hoje, a 28.553,98 pontos, enquanto o Hang Seng avançou 1,75% em Hong Kong, a 28.910,86 pontos, o sul-coreano Kospi se valorizou 0,86% em Seul, a 3.171,32 pontos, e o Taiex registrou alta de 1,58% em Taiwan, a 16.595,67 pontos.

Na China continental, os mercados tiveram ganhos ainda mais robustos, graças principalmente a ações da indústria de alimentos e bebidas. O Xangai Composto subiu 2,40%, a 3.581,34 pontos, atingindo o maior patamar em três meses, e o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 1,91%, a 2.381,93 pontos.

Na segunda-feira, as bolsas de Nova York tiveram ganhos generalizados, com destaque para o setor de tecnologia. O bom humor veio num momento de alívio em temores de que pressões inflacionárias possam antecipar a normalização da política monetária. Nos últimos meses, dirigentes de grandes bancos centrais, como Fed, BCE e BoE, têm avaliado que a alta dos preços – fruto do processo de recuperação econômica após os choques da pandemia de covid-19 – é apenas temporária.

Na Oceania, a bolsa australiana também ficou no azul nesta terça, impulsionada por papéis de grandes bancos domésticos. O S&P/ASX 200 avançou 1% em Sydney, a 7.115,20 pontos.

Mais Recentes da CNN