Bolsas da Ásia fecham na maioria em baixa, com dúvidas sobre Evergrande no radar

Ainda é incerto se uma subsidiária da empresa conseguiu pagar juros sobre bônus que venceram na quinta-feira

Na China continental, o Xangai Composto recuou 0,80%, a 3.613,07 pontos
Na China continental, o Xangai Composto recuou 0,80%, a 3.613,07 pontos REUTERS

Sergio Caldas, do Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em baixa nesta sexta-feira (24) à medida que incertezas sobre a Evergrande, a endividada gigante do setor imobiliário chinês, continuam pesando nos negócios. Em Hong Kong, o Hang Seng caiu 1,30%, a 24.192,16 pontos, enquanto a ação local da Evergrande sofreu um tombo de 11,61%.

Nesta quinta-feira, 23, o The Wall Street Journal noticiou que autoridades da China orientaram governos locais a se preparar para um eventual colapso da Evergrande. E ainda é incerto se uma subsidiária da empresa conseguiu pagar juros sobre bônus que venceram ontem. Por outro lado, alguns bancos chineses revelaram o quanto têm a receber da Evergrande e alegam estar preparados para absorver um possível calote.

Na China continental, o Xangai Composto recuou 0,80%, a 3.613,07 pontos, enquanto o menos abrangente Shenzhen Composto caiu 0,70%, a 2.434,23 pontos. Em Seul, o sul-coreano Kospi teve perda marginal de 0,07%, a 3.125,24 pontos.

Já em Tóquio, o índice Nikkei saltou 2,06% hoje, a 30.248,81 pontos, na volta de um feriado nacional no Japão. O mercado de Taiwan também ficou no azul, com ganho de 1,07% do Taiex, a 17.260,19 pontos.

Na Oceania, a bolsa australiana seguiu o viés predominantemente negativo da Ásia, e o S&P/ASX 200 caiu 0,37% em Sydney, a 7.342,60 pontos.

Mais Recentes da CNN