Bolsas da Ásia se recuperam após tombos com ata do Fed no radar

O documento deve trazer indícios de quando o BC americano poderá começar a reduzir compras de ativos

Telão em Xangai mostra flutuação dos mercados acionários
Telão em Xangai mostra flutuação dos mercados acionários Foto: REUTERS/Aly Song

Sergio Caldas,

do Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

As bolsas asiáticas fecharam em alta nesta quarta-feira (18) recuperando-se de perdas de ontem, com investidores à espera de uma atualização do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) sobre possíveis planos de reduzir estímulos monetários.

O índice acionário japonês Nikkei subiu 0,59% em Tóquio hoje, a 27.585,91 pontos, beneficiado pela fraqueza do iene frente ao dólar durante a madrugada, enquanto o Hang Seng avançou 0,47% em Hong Kong, a 25.867,01 pontos, o sul-coreano Kospi se valorizou 0,50% em Seul, a 3.158,93 pontos, e o Taiex registrou ganho de 0,99% em Taiwan, a 16.826,27 pontos.

Na China continental, o Xangai Composto teve alta de 1,11%, a 3.485,29 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 0,84%, a 2.412,49 pontos. Bancos e corretoras lideraram o movimento, com crescentes expectativas de que Pequim adote novas medidas de incentivos após recentes sinais de desaceleração econômica.

Investidores na Ásia e em outras partes do mundo estão na expectativa para a ata da reunião de política monetária de julho do Fed, a ser divulgada na tarde desta quarta. O documento deve trazer indícios de quando o BC americano poderá começar a reduzir compras de ativos e a considerar a hipótese de elevar juros, depois de estimular a economia agressivamente em reação à pandemia de Covid-19.

Na Oceania, a bolsa australiana contrariou o tom positivo dos mercados asiáticos, pressionada após Nova Gales do Sul, Estado mais populoso do país, relatar número recorde de novos casos de infecção pelo coronavírus. O índice S&P/ASX 200 caiu 0,12% em Sydney, a 7.502,10 pontos. 

Mais Recentes da CNN