Brasil abre mais de 309 mil vagas de trabalho em junho, 41,1% a mais que em maio

De acordo com o ministério da Economia, 2021 registra saldo de 1.536.717 empregos, decorrente de 9.588.085 admissões e 8.051.368 desligamentos

Anna Russi, da CNN Brasil, em Brasília

Ouvir notícia

A recuperação do mercado de trabalho retomou o ritmo em junho e registrou o segundo melhor resultado mensal do ano, perdendo apenas para fevereiro. O Ministério da Economia divulgou nesta quinta-feira (29) os dados de junho do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Foram criadas 309.114 novas vagas de trabalho formal no país. 

Resultado de 1.601.001 contratações e 1.291.887 demissões, o número é 41,1% maior que as mais de 276 mil vagas abertas em maio. Também é o melhor resultado para meses de junho em toda a série histórica do novo Caged, iniciada em 2010.

O ano de 2021 registra saldo de 1.536.717 empregos, decorrente de 9.588.085 admissões e 8.051.368 desligamentos. Já o estoque, que é a quantidade total de vínculos celetistas ativos, em junho de 2021 contabilizou 40.899.685 vínculos.

No mês, os cinco setores da atividade econômica registraram criação de empregos. Em primeiro lugar está o setor de serviços que, após ter sofrido forte impacto ano passado, mostra recuperação este ano e criou 125.713 postos em junho. “(Estes foram) distribuídos principalmente nas atividades de informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas”, informa a pasta.

O comércio criou 72.877 empregos formais, enquanto a indústria geral, a agropecuária e o setor de construção criaram 50.145, 38.005 e 22.460 vagas de trabalho em junho, espectivamente.

Carteira de Trabalho
Carteira de Trabalho e Previdência Social
Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Melhor 1º semestre em 11 anos

O saldo de empregos formais no primeiro semestre de 2021 é de 1.536.717 novas vagas. É o melhor resultado para o período desde 2010. 

No ano passado, por conta dos impactos das crises sanitária e econômica, o mercado de trabalho formal acumulava 1.198.363 empregos destruídos no primeiro semestre.

No acumulado do ano, o destaque também está no setor de serviços, que, sozinho, tem saldo positivo de 631.613 empregos criados. Em seguida, está a indústria, com 340.237. Os setores de comércio, construção e agropecuária registraram, respectivamente, 234.209, 178.606 e 152.496 novos postos de trabalho nos primeiros seis meses do ano.

Mais Recentes da CNN