Brasil registra deflação em maio puxada pelos setores de transportes e habitação

Queda foi de 0,38%, o menor valor registrado em um mês de maio desde 1980

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

O IBGE divulgou nesta quarta-feira (10) o Índice Geral de Preços ao Consumidor Amplo, que mede mensalmente a inflação no país. Pelo segundo mês consecutivo o Brasil registrou deflação. Em abril, a queda foi de 0,31%. Agora em maio, o número foi de 0,38%. Foi o menor valor registrado em um mês de maio desde 1980.

A queda foi puxada principalmente pelos setores de transportes e habitação, o primeiro registrando queda de 1,90%, enquanto o segundo teve queda de 0,25%.

No desmembramento do setor de transportes o preço dos combustíveis caiu 4,56%, enquanto o de passagens aéreas 27,14%. Já nas divisões da habitação a maior queda foi no segmento de roupas femininas, com queda de 0,88% no mês enquanto energia elétrica e vestuário caíram 0,58%

Leia também:

Governo terá que respeitar o teto de gastos em 2021, diz José Márcio Camargo

“A queda foi menos intensa que o mercado projetava, mas traz junto a ela todos os efeitos da pandemia,” explica o economista Fabio Romão, da LCA Consultores. Apesar das quedas, ele alerta que a deflação poderá deixar controlada a inflação para os próximos anos, o que abre espaço para outras políticas de incentivo econômico.

“A sinalização é de inflação bastante moderada neste e no próximo ano, abrindo espaço para políticas monetárias e outras medidas de incentivo a atividade econômica sem que isso se afete a inflação.”

(Edição: André Rigue)

Mais Recentes da CNN