Braskem deixará de gastar R$ 3 bi após suspensão de medidas reguladoras em minas

No final de novembro, a petroquímica estimou em 3 bilhões de reais custos e despesas adicionais para a implementação de medidas cobradas pela ANM

Trabalhadores passam em frente a um tanque em uma usina da empresa petroquímica Braskem
Trabalhadores passam em frente a um tanque em uma usina da empresa petroquímica Braskem Foto: REUTERS/Amanda Perobelli (30/01/2020)

Paula Arend Laier, da Reuters

Ouvir notícia

A Braskem comunicou nesta terça-feira que conseguiu suspender medidas adicionais determinadas pela Agência Nacional de Mineração (ANM) para fechamento de minas instáveis de extração de sal em Maceió (AL), que acarretariam custo adicional de 3 bilhões de reais à petroquímica.

Leia também:
Preço da comida não deve subir tanto em 2021 — mas vai continuar alto
Conheça as ações com melhor potencial para pagar dividendos em 2021
Salários de até R$ 45 mil: Conheça as profissões mais promissoras para 2021

De acordo com a empresa, a suspensão do ofício da ANM ocorreu após o pedido de reconsideração elaborado pela companhia e será válida até a avaliação final dos argumentos técnicos apresentados pela Braskem.

No final de novembro, a petroquímica estimou em R$ 3 bilhões custos e despesas adicionais para a implementação de medidas cobradas pela ANM que incluíam o fechamento de minas e o preenchimento com material sólido de determinados poços adicionais de extração de sal.

Mais Recentes da CNN