BRF faz acordo para criar empresa de frango saudita, com US$ 350 mi em aportes

Segundo a BRF, a nova empresa, na qual a brasileira terá 70% de participação, promoverá a venda de produtos frescos, congelados e processados na Arábia Saudita

Logo da BRF
Logo da BRF REUTERS/Rodolfo Buhrer

da Reuters

Ouvir notícia

A BRF informou nesta quinta-feira (13) a assinatura de memorando de entendimentos com o fundo de investimentos soberano da Arábia Saudita para a criação de uma joint venture que atuará na cadeia completa de produção de frangos no país do Oriente Médio, em acordo que contempla investimentos de cerca de US$ 350 milhões.

Segundo a BRF, a nova empresa, na qual a brasileira terá 70% de participação, promoverá a venda de produtos frescos, congelados e processados na Arábia Saudita. O fundo será dono do restante da companhia.

O movimento “reforça o compromisso da companhia com seu plano estratégico e com a Visão 2030 da Arábia Saudita, em particular com a segurança alimentar na região do Golfo”, disse a BRF.

Além disso, o acordo salienta o importante mercado de produtos halal, preparados de acordo com requisitos muçulmanos.

O Brasil é o maior fornecedor de carne halal do mundo, vendendo frango e carne bovina nos lucrativos mercados islâmicos.

A Arábia Saudita é o quarto maior cliente para a carne de frango do Brasil, tendo importado 353,5 mil toneladas em 2021, segundo dados comerciais compilados pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), que representa grandes produtores e exportadores brasileiros.

O volume representa uma queda de 24,4% em relação ao ano anterior, pois os sauditas estão tentando reduzir as importações e aumentar a produção local de produtos de frango.

Mais Recentes da CNN