Ainda não sacou FGTS Emergencial? Caixa estende o prazo para pedir até R$ 1.045

Tem direito o trabalhador que tem ou já teve carteira assinada e que não utilizou o total do Fundo de Garantia nos saques anteriores

Notas de dinheiro: FGTS 
Notas de dinheiro: FGTS  Foto: Marcos Santos / USP Imagens

Raphael Coraccini, colaboração para o CNN Brasil Business, em São Paulo

Ouvir notícia

O brasileiro pode ter um dinheiro extra para este final de ano. A Caixa Econômica anunciou que vai reabrir as possibilidades de saque do FGTS Emergencial para quem ainda não recebeu o dinheiro.

Tem direito ao benefício todo trabalhador que tem ou já teve carteira assinada e que não utilizou o total do Fundo de Garantia nos saques anteriores. 

Leia também:
5 dicas da Nathalia Arcuri sobre o que fazer com o décimo terceiro
Procon-SP determina que Apple forneça carregador para quem comprar iPhone 12

A Caixa abriu, em junho, a possibilidade de os trabalhadores sacarem até R$ 1.045 do FGTS –foi o chamado Saque Emergencial do FGTS.

Porém, muitas pessoas não solicitaram o dinheiro até o prazo máximo de 30 de novembro. Por isso, o banco anunciou uma nova etapa para o saque, que vai de 7 a 31 de dezembro.

Como sacar? 

O trabalhador precisa baixar o aplicativo do FGTS (disponível para iOS e Android) e informar que tem interesse em receber o FGTS Emergencial. O valor será repassado para a conta digital Caixa Tem. O aplicativo é o mesmo utilizado para receber o auxílio emergencial.

Quem fez a solicitação e não recebeu o valor deve atualizar os dados cadastrais no aplicativo da Caixa e confirmar o interesse em receber o dinheiro. 

A movimentação poderá ser feita pelo aplicativo Caixa Tem para pagar boletos ou contas, ou utilizar o cartão de débito virtual e QR code para fazer compras em supermercados, padarias, farmácias e outros estabelecimentos. 

Com um código gerado no aplicativo Caixa Tem, também será possível fazer transferência ou saque em espécie nos terminais de autoatendimento da Caixa e nas casas lotéricas.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook
 

Mais Recentes da CNN