Câmara deve votar MP que criou Auxílio Brasil nesta terça-feira (23)

Medida Provisória troca o programa de distribuição de renda Bolsa Família pelo Auxílio Brasil – e muda alguns critérios para recebimento do benefício

Plenário da Câmara dos Deputados
Plenário da Câmara dos Deputados Divulgação

Rafaela Larada CNN*

em São Paulo

Ouvir notícia

A Câmara dos Deputados pode votar, a partir desta terça-feira (23), a medida provisória (MP) que criou o programa de renda Auxílio Brasil.

A MP oficializa a troca do programa de distribuição de renda Bolsa Família pelo Auxílio Brasil – e muda alguns critérios para recebimento criando incentivos adicionais ligados ao esporte, ao desempenho nos estudos e inserção produtiva.

Os recursos para o pagamento do valor de R$ 400,00, prometido pelo governo Bolsonaro, dependem da aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos Precatórios, em tramitação no Senado.

O Auxílio Brasil começou a ser pago neste mês, com valor médio de R$ 217,18.

Nesta segunda-feira (22), o plenário da Senado debate a PEC dos Precatórios em sessão temática.

Aprovada em dois turnos na Câmara dos Deputados, o texto enfrenta resistência no Senado e parlamentares buscam alternativas para aprovação da matéria e garantia do benefício para 2022.

MP deve definir regras para recebimento do benefício

O texto da MP remete a um regulamento a definição do valor e de outros aspectos, como a forma de cumprimento das condições para receber os benefícios, os valores para enquadramento nas situações de pobreza e extrema pobreza, regras sobre a inserção produtiva incentivada entre outros detalhes.

De acordo com o texto, são mantidas as principais condições para recebimento do benefício previstas no Bolsa Família, como a realização de pré-natal, o cumprimento do calendário nacional de vacinação, o acompanhamento do estado nutricional e a frequência escolar mínima.

A MP cria os programas Auxílio Brasil e Alimenta Brasil em substituição ao Bolsa Família e ao Programa de Aquisição de Alimentos (PAA).

*Com informações da Agência Câmara de Notícias

Mais Recentes da CNN