Câmara prorroga isenção do IPI para taxistas e pessoas com deficiência até 2026

Também foi atualizado o valor máximo para a compra do automóvel com isenção, que passa de R$ 140 mil para até R$ 200 mil

Foto: Sílvio Rocha/Prefeitura de Aracaju/Divulgação

Iander Porcella e Izael Pereira, do Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (1º), o Projeto de Lei (PL) que prorroga a isenção do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) até 2026 na compra de veículos novos por taxistas e pessoas com deficiência, além de ampliar o subsídio a deficientes auditivos e visuais. A matéria retorna ao Senado.

De autoria da senadora Mara Gabrilli (PSDB-SP), o PL altera a Lei nº 8.989, de 24 de fevereiro de 1995, que previa direito à isenção do IPI a taxistas e pessoas com deficiência que adquirissem um automóvel novo apenas até 31 de dezembro deste ano.

Com a aprovação do texto, também foi atualizado o valor máximo para a compra do automóvel com isenção de IPI, que passa de R$ 140 mil para até R$ 200 mil. No preço, já devem estar incluídos os tributos incidentes, sem ultrapassar o limite estipulado.

Além disso, o parecer do relator do projeto, deputado Tiago Dimas (Solidariedade-TO), incluiu os acessórios de automóveis entre os itens que poderão ter isenção de IPI na compra de veículos para pessoas com deficiência. “Os acessórios são indispensáveis para a política de locomoção”, explicou.

O texto inclui ainda o fim da isenção do PIS/Pasep e Cofins para compra e importação de produtos químicos e farmacêuticos destinados a hospitais e campanhas de saúde realizadas pelo poder público.

Mais Recentes da CNN